segunda-feira, 27 de agosto de 2018


Para sempre

Autor(a): Glaucia Santos
Editora: Baraúna
Páginas: 323
Resenha por: Larissa
Nota: 4/5
*Livro cedido pela autora para resenha




Sinopse: Elizabeth e Justin se conheceram quando crianças. Foram melhores amigos e juntos descobriram o significado do amor e da paixão. Após um afastamento de dez anos, eles se reencontram e podem então viver esses sentimentos tão irresistíveis, lutando contra dificuldades, dramas e conflitos familiares. Mas a vida não é feita apenas de lutas; e com muita fé eles descobrem que o verdadeiro amor é capaz de transpor todos os obstáculos, valorizando cada pequeno gesto e momento, e que tudo vale a pena quando se tem a capacidade de amar e perdoar.

Resenha: Justin Stone e Elizabeth Marbrook se conheceram quando ambos tinham cinco anos, no momento em que Justin encontrou uma Elizabeth chorando na frente da nova casa dela. Ao questionar a garota sobre o porquê dela estar chorando, Lizzy disse estar com fome, então Justin a levou para jantar com ele naquela noite.

"Justin me salvou de todas as formas que uma pessoa pode ser salva."

Desde esse dia, as duas crianças não se desgrudaram mais. Iam e voltavam da escola juntos, e depois ficavam na casa de Justin brincando, pois Lizzy fazia de tudo para não ficar em casa sozinha com seu pai bêbado e evitar de ver sua mãe apanhar dia e noite.

Os pais de Justin sempre trataram Elizabeth como uma filha, até o dia em que, com seus doze anos, Lizzy e Justin foram pegos se beijando. Depois desse dia, a vida dos dois nunca mais foi a mesma. Eles continuavam se vendo e sempre juntos, é claro, mas nunca sozinhos. Sempre alguém estava vigiando-os.

Como se isso tudo já não fosse ruim o bastante para os dois, os pais de Justin, os Stones, resolveram se mudar, pois o Sr. Stone não queria que o namorico dos dois adolescentes atrapalhasse o futuro que ele planejava para Justin.

"Doía tanto dizer adeus. Acho que foi a coisa mais difícil que já fiz na minha vida."

Lizzy ficou por meses ansiosa, esperando cartas de Justin, cartas estas que nunca chegaram. Então com o tempo eles acabam perdendo o contato. Lizzy e sua mãe acabaram fugindo de seu pai, por causa de coisas terríveis, e até então não sabemos do paradeiro de Justin, até que um dia, depois de exatos dez anos sem se ver...

O livro é narrado intercalando o passado e o presente. Justin, no atual momento, está com sérios problemas de saúde e Lizzy está cuidando dele, enquanto lembra e lê para Justin todo o passado dos dois, e é através dessas lembranças e leituras que ficamos sabendo tudo o que os dois passaram até o atual momento. Senti uma semelhança com o livro "Diário de uma paixão", mas não posso afirmar nada, pois faz tempo que li a obra e não lembro quase nada.

O final é um final óbvio, necessário e verdadeiro (digo verdadeiro porque não é aquele final "e viveram felizes para sempre"), mas ainda assim é triste, pois passei o livro inteiro com esperanças de que fosse diferente, de que isso não acontecesse, mas aconteceu...

"Sei que o nosso tempo está acabando. Mesmo assim continuo acreditando em um milagre."

Assim como o outro livro da autora já resenhado aqui, "Vento no litoral", você pode pensar que "Para sempre" é apenas mais romancezinho bobo e sem graça, mas não é, pode acreditar. Talvez até seja, mas a Glaucia tem uma escrita e uma criatividade que nos leva para outro lugar, fazendo-nos pensar nesses romances como livros diferentes, entendem? Não sei explicar, só lendo para vocês me entenderem. A forma como ela descreve os personagens, as cenas, os lugares, é tudo tão diferente... Simplesmente leiam todos os livros dessa mulher, gente! Ela é a versão feminina do Nicholas Sparks, juro!

"Você tem que amar, perdoar e ser perdoado quando ainda há vida. E o mais importante: não deixar o orgulho, o ressentimento e as crises familiares impedirem de fazer isso. Um dia, seus pais e irmãos não estarão mais lá e o arrependimento vai lhe acompanhar pelo resto da vida."

Publicação independente, 2015, 358 páginas, SKOOB
“Os anos haviam passado... e as lembranças eram apenas flashes remotos em minha mente. Algumas vezes muito vívidas e outras apenas lembranças passageiras de um bom tempo. Às vezes eu acordava sonhando e sorria com as lembranças.”


Esse livro nos conta a história de Elisabeth (Lizzy) e Justin, um casal de idosos que se conhecem- e se amam- desde a infância. No início era amor de amigos, mas o tempo foi passando e a cumplicidade contribuiu para que esse sentimento fosse mudando e se moldando aos poucos.


Em 1985, a pequena Lizzie Marbrook se mudou com a família para Chilton-Carolina do Sul, com apenas 5 anos de idade. O livro começa com a pequena Lizzy, assim que se estabeleceu em sua nova casa, chorando de fome na varanda de casa, enquanto espera que sua mãe volte logo com a comida que fora comprar e ao mesmo tempo torce para que seu pai, que dormia alcoolizado no sofá, não acordasse. Foi nesse momento de solidão e medo que ela conheceu seu novo vizinho, o menino Justin Stone.

“ - Menina, por que chora? – Eu não soube muito bem o que dizer. Afinal, eu nem o conhecia e me senti tímida diante dele. – Não precisa ter medo de mim
- Mamãe diz para ter medo de estranhos.
- Mas eu não sou estranho, sou Justin Stone- Ele me estendeu a mãozinha arredondada.
Por um instante hesitei, mas, depois de vê-lo tão solícito, acabei cedendo e dei a mão para ele.
- Me chamo Elisabeth Marbrook, mas mamãe me chama de Lizzy- disse, fitando seu olhar. “

Ah gente, que livro, viu! Eu lia e a cada capítulo novo meus olhos se enchiam de lágrimas. A história é contada em vários tempos e a narrativa acontece da seguinte forma: Elisabeth, já idosa, nos conta história, enquanto relembra suas memórias com o marido que já muito adoentado pediu aos médicos para que ele pudesse passar seus últimos momentos de vida em casa, no aconchego de seu lar, em companhia de sua família.
A história tem uma narrativa bem previsível, mas isso não influenciou em nada a docilidade dos acontecimentos narrados. Para mim a maior mensagem que ele deixou foi que é necessário ter fé. Foi com Justin que Lizzy aprendeu o que essa palavra significava, e foi esse sentimento que a sustentou nos momentos mais difíceis que eles passaram.
Comprei esse livro na loja kindle há quase um ano, e desde então ele tava parado aqui. Um dia voltando da faculdade eu li a nota da autora e achei bem interessante, mas só peguei para ler agora e valeu MUITO a pena!

Vocês perceberam que eu tô numa vibe nacional agora? É o terceiro que eu leio em seguida e estou simplesmente amando conhecer o trabalho de nossos conterrâneos e valorizar a nossa literatura. E vocês, leem muito livro nacional? Conheciam o trabalho dessa autora?
Bom, por hoje é só! Bom finzinho de feriado e até semana que vem! Beijocas!

Publicada em: http://www.marshmallowcomcafe.com.br/2018/02/resenha-para-sempre-glaucia-santos.html?showComment=1535387610111#c3837174848165926756
Para quem curte um bom romance com uma pitada de suspense, “Luz da Minha Vida” de Glaúcia Santos é uma boa escolha. A capa do livro é um encantamento a parte, já que retrata muito bem o que encontraremos à medida que lemos o livro: muito amor.

O livro tem o enredo concentrado no casal Anna e Richard, que se apaixonam desde a primeira vez que se encontram.

O problema visual da protagonista, que é cega, também é outro ponto alto da historia, já que mostra suas dificuldades para ser aceita na sociedade como uma pessoa que tem a mesma capacidade de outras sem deficiência. A autora mostra o drama que sofrem as pessoas com problema visuais, para sobreviverem em grandes cidades, muitas vezes sem nenhuma estrutura adequada para eles.
  O livro é cheio de momentos românticos e várias vezes sensuais mostrando o fogo que se cria quando nos apaixonamos perdidamente.
Em meio a tudo isso, surge um assassino capaz de fazer tudo para estragar um espetáculo musica do qual Anna, que é uma violinista,  faz parte. Isso dá um toque diferente a historia, que no inicio imaginamos ser apenas um drama romântico. Glaúcia conseguiu concentrar pitadas de romance, suspense e reflexão a cada frase que se completa em “Luz da Minha Vida”. Além de tudo isso, Glaúcia consegue acrescentar uma pitada de humor com a personagem Zefa, que tem Anna como sua própria filha.

Sobre a escrita do livro, confesso que não sou muito fã de livros com alguns estrangeirismos, porém isso não dificulta o entendimento do leitor no livro de Glaúcia. Apesar de a autora utilizar algumas palavras e da historia propriamente dita se passar em outro País, em nenhum momento ela suja a imagem do Brasil ou deixa de dar sua importância. A escrita é clara e sucinta e não deixa o leitor com duvidas sobre aquela ou outra palavra, já que Gláucia coloca um mini vocabulário a cada pagina que contém alguma palavra ou expressão estrangeira.



Luz da Minha Vida é um romance recheado de emoção e suspense, onde o leitor vai descobrir que ainda existe amor verdadeiro e constante. Glaúcia superou-se em seu mais novo lançamento, e o livro se torna uma boa dica para sua leitura diária. Abraços a todos...

Postado em: https://www.refugioliterario.com.br/2013/09/resenha-luz-da-minha-vida-de-glaucia.html

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Escrito por - 6/07/2017

Título: Nos braços de um anjo | Autor (a): Glaucia Santos | Independente | Páginas: 160 | Skoob
Onde Comprar: Amazon | Site da Autora

Avaliação: ★★★★

Sinopse: Após um trágico acidente, Carolina fica em coma e descobre que perdeu a mãe.
Em seu pior estado depressivo, ela é resgatada por Kaléo, um anjo, pois em diversos momentos sente que ele a conforta lhe dando uma paz que está longe de voltar a ter.
Porém, o que ela não sabe é ele a impede de dar fim a própria vida.
Com o tempo, Kaléo se dá conta que seu sentimento por Carolina é muito mais do que compaixão, mas existem regras inquebráveis que podem colocar tudo a perder
Ele abriria mão da eternidade por um amor humano?
E ela, seria capaz de voltar a acreditar no amor?
Uma jornada emocionante onde o amor é a chave para a superação.

Cortesia em parceria com a autora

Este é o terceiro livro da autora Glaucia Santos que tenho o prazer de ler e resenhar, Nos braços de um Anjo se tonou um dos meus livros prediletos da autora é só perde para Luz da minha vida, mas nem por isso deixa de ser tão lindo e emocionante quanto. Nos braços de um anjo é um livro curtinho com cerca de 160 páginas e com uma história fluida e cativante, o desfecho deixa lágrimas nos olhos, gostei bastante da proposta do enredo que fala principalmente de amor e superação. 

Nós braços de um anjo também traz muitas mensagens religiosas e que casam muito bem com a trama, afinal aqui temos a trajetória de um anjo morte que se apaixona por uma humana, um tema até um pouco clichê, mas não se deixe enganar pois Glaucia Santos nos surpreende muito com este livro, principalmente em relação ao mistério de Kaléo, pois como anjo da morte ele não deveria sentir nenhum sentimento, mas de alguma forma entre todos os ceifadores ele é o único que vivencia tais emoções e até mesmo conforta aqueles que estão partindo do mundo do terreno e é em uma de suas missões que Kaléo se apaixona por Carolina, uma mulher fragilizada pelas perdas, mas que encontrará em Kaléo a força do verdadeiro amor. 


Todo o romance vivido por Kaléo e Carolina é muito bonito, vemos cada um deles aprendendo e crescendo com essa paixão, mas sem dúvidas os mistérios envolta do anjo da morte merece ainda mais destaque, e até gostaria que a autora tivesse aprofundado mais neste quesito pois daria uma excelente sub-trama, com fantasia e ação, mas ainda sim é de fácil compreensão as respostas e mesmo deixando um gostinho de quero mais, foi ótima essa pegada mais lendária a respeito das origens de Kaléo. 

A narrativa é em terceira pessoa focando não apenas em nosso querido anjo da morte, mas também em Carol, acredito que esta na verdade seja uma história do Kaléo que se destaca bastante por sua personalidade. Carolina é uma moça tão frágil que a vontade que nos dá é de consola-la, mas mesmo com tantas perdas sentimos que no fundo ela é forte, apenas precisava de amparo, ajuda e compreensão, a qual Kaléo fará de tudo para lhe dar, até mesmo ir contra os ensinamentos de seu criador. 


Com capítulos curtos mas bastante envolventes Nos braços de um anjo é uma leitura prazerosa, bonita e cheia de significado, a escrita da Glaucia é deliciosa e o livro pode ser concluído rapidamente, até porque a história também é muito boa e os personagens cativantes. Para finalizar quero falar um pouco da edição, a publicação é independente mas com muita qualidade, a diagramação é linda, com fonte confortável, bom espaçamento e os capítulos com ilustração de abertura com o casal, uma edição muito charmosa. Encontrei pouco erros na revisão, mas nada muito significativa ou que atrapalhe a leitura. Enfim, se você procura um bom romance para ler aposte em Nós braços de um anjo! 

Publicado em: http://www.daimaginacaoaescrita.com/2017/06/resenha-nos-bracos-de-um-anjo-glaucia_37.html?showComment=1496920398401#c8655072653023937309

terça-feira, 11 de abril de 2017

Nos braços de um anjo

Autor(a): Glaucia Santos
Editora: Independente
Páginas: 138
Resenha por: Larissa
Nota: 4/5
*Livro cedido pela autora para resenha




Sinopse: Após um trágico acidente, Carolina fica em coma e descobre que perdeu a mãe.

Em seu pior estado depressivo, ela é resgatada por Kaléo, um anjo, pois em diversos momentos sente que ele a conforta lhe dando uma paz que está longe de voltar a ter.

Porém, o que ela não sabe é ele a impede de dar fim a própria vida.

Com o tempo, Kaléo se dá conta que seu sentimento por Carolina é muito mais do que compaixão, mas existem regras inquebráveis que podem colocar tudo a perder.

Ele abriria mão da eternidade por um amor humano? E ela, seria capaz de voltar a acreditar no amor? Uma jornada emocionante onde o amor é a chave para a superação.

Resenha: Carolina é uma mulher que, após perder sua mãe em um acidente, fica um tempo no hospital, se recuperando. Porém, ela não se recupera totalmente, pois após saber que sua mãe não está mais viva, ela entra em depressão.

Enquanto isso, em uma outra dimensão, temos Kaléo, um anjo da morte. Os anjos da morte não matam as pessoas, eles somente levam elas para o céu ou para o inferno, fazem apenas a passagem. E foi Kaléo que fez a passagem da mãe de Carolina... Acontece que, quando ele viu a moça pela primeira vez, ficou encantado.

"Estou quebrada e sou uma bomba-relógio. Qualquer hora vou explodir e não quero ferir quem estiver por perto."

Kaléo cuidou de Carolina o tempo inteiro enquanto ela estava no hospital, e até em casa. Sempre que ela precisava de um conforto, ele a abraçava e, por mais que ele não sentisse nada, apenas um vazio, ela se sentia reconfortada e melhor. Diversas vezes ela pensou em se matar, mas ele estava lá para protege-la.

Com a desculpa de que iria trazer felicidade para Carolina para que ela não tirasse a própria vida e se matasse antes da hora, Kaléo pede permissão para ser o anjo da guarda de Carol, virando então um humano. Não totalmente humano, pois ele ainda tinha seus "poderes" de anjo e podia ficar invisível aos olhos humanos quando quisesse, mas ao menos podia ser visto por Carolina. Mas é claro que ele não podia se relacionar com ela...

O livro é bem pequeno e, sendo assim, dá para ser lido rapidinho. Eu só não li em um dia ou dois porque realmente não​ tive tempo. Sem falar que é uma estória linda (vinda da Glaucia não poderia ser diferente). Então leiam esse livro lindo, só leiam!

"O tempo não cura e não faz esquecer, mas cada dia a ferida dói menos."



Após um trágico acidente, Carolina fica em coma e descobre que perdeu a mãe.

Em seu pior estado depressivo, ela é resgatada por Kaléo, um anjo, pois em diversos momentos sente que ele a conforta lhe dando uma paz que está longe de voltar a ter.

Porém, o que ela não sabe é ele a impede de dar fim a própria vida.
Com o tempo, Kaléo se dá conta que seu sentimento por Carolina é muito mais do que compaixão, mas existem regras inquebráveis que podem colocar tudo a perder
Ele abriria mão da eternidade por um amor humano?
E ela, seria capaz de voltar a acreditar no amor?
Uma jornada emocionante onde o amor é a chave para a superação.




Surtadinhos, quanto tempo, não é?
Eu senti saudades mas estava "over busy" (super ocupada) esses últimos meses. Estou de volta, sã e salva!

Li pouco nesses últimos meses em virtude de alguns acontecimentos (todos temos nossos momentos turbulentos, né?).

O que trago hoje pra vocês é um livro que eu poderia ter levado menos tempo para ler, mas li em uma semana: Nos Braços de Um Anjo, da autora Glaucia Santos.

Começo dizendo que conheço a Glaucia desde o primeiro livro dela, que inclusive tem resenha aqui no blog. A Glaucia vem se tornando, ao longo dos tempos uma querida. Ela se mostra batalhadora mesmo em meio a esse território árido que é a vida do escritor brasileiro. E eu posso afirmar com toda certeza, justamente por conhecer o trabalho que ela vem fazendo, que ela vem crescendo rapidamente! Diferente de muitas pessoas que vejo, ela aprende com seus erros e dá a volta por cima de qualquer "perrengue". Eu admiro isso mais do que eu possa escrever em palavras!

Vamos ao livro?

Nos Braços de um Anjo tem um leitura fluída. É um livro para quem está cansado de leitura heavy metal e quer um carinho na alma cansada, sabe? Eu li depois de ter visto uma série que a Marcia Cogitare me indicou e eu fiquei com uma angústia infinita dentro do peito. A série é maravilhosa "The Night Of" e tem podcast aqui no blog. Vá lá ver

Pois então, depois de ver algo "punk" eu sempre preciso de um romance ou comédia para acalmar minha alma e foi exatamente isso que este livro fez!

Eu me apaixonei pelo  anjo questionador que é Kaléo e fiquei torcendo pelo amor que ele começa a nutrir por Carolina, que perdeu a mãe recentemente.

Glaucia afirma logo no começo do livro para não nos atermos à religião durante a leitura. É uma obra de ficção, inspirada no filme Cidade dos Anjos.

A obra é ambientada no Rio de Janeiro e fala de amor! Fala de amor em suas diversas formas. Traz questionamentos. Eu questionei várias vezes. Eu concordei e discordei.... refleti. Creio que toda obra deva trazer alguma reflexão e esta me trouxe.

Os anjos do livro vivem para "servir". Não tem sentimentos. São "ocos", mas Kaléo começa a se sentir protetor em relação a Carolina, começa a ter compaixão e a observar, ainda que não encontre explicação nisso. A gente vê claramente a sementinha do amor brotando no peito dele. Eu realmente imaginei como isso pode ser desesperador para um ser que não está acostumado e ao meso tempo, como pode ser deslumbrante!

Veja uma fala de Kaléo quando conversa com outro anjo:


"Porque eu observo as cosias e percebo que são injustas. Qual a razão de pessoas boas partirem a más ficarem? Por que tanto sofrimento? Se ele tem tudo escrito, como pode permitir que alguém se transforme em um monstro? Assassino? Estuprador? Agora, pensando em tudo, eu não compreendo."

Tudo isso, que claro já estava aparecendo em seus pensamentos e ele tentava deter, veio com força quando começou a enxergar e sofrer com Carolina.

Eu, Telminha, que sempre achei o amor transformador, vejo beleza nisso!

O envolvimento do anjo e da humana se dá em meio a dor, mas progressivamente e sem retorno.

Se eles ficam juntos ou se o final é como no filme. Lindos, vocês terão que ler pra saber, não é?

Recomendo esse livro a todos os românticos inveterados. Aos que, mesmo em meio ao caos, encontram alívio no amor e na certeza dele.

Abaixo você vê algumas fotos do livro e quem segura é o "meu anjo", que atende pelo nome de Nicolas!

Beijos ensandecidos em cada um de vocês, surtados.






Coincidentemente, agora, quando estou prestes a acabar a resenha, começa a tocar Iris, de Goo Goo Dolls (referência que Glaucia usa no livro), vou deixar pra vocês se deleitarem com essa música maravilhosa!








* Possíveis erros de ortografia, gramática e digitação, serão corrigidos em minha releitura do texto.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Resenha por: Suelen Fernandes
Título: Nos Braços de Um Anjo
Autor(a): Glaucia Santos
Editora: Independente
Gênero: Romance / Literatura Nacional
Páginas: 160
Ano: 2016
Compre: Amazon | Site da Autora
Adicione: Skoob
Nota
Sinopse: Após um trágico acidente, Carolina fica em coma e descobre que perdeu a mãe.
Em seu pior estado depressivo, ela é resgatada por Kaléo, um anjo, pois em diversos momentos sente que ele a conforta lhe dando uma paz que está longe de voltar a ter.
Porém, o que ela não sabe é ele a impede de dar fim a própria vida.
Com o tempo, Kaléo se dá conta que seu sentimento por Carolina é muito mais do que compaixão, mas existem regras inquebráveis que podem colocar tudo a perder
Ele abriria mão da eternidade por um amor humano?
E ela, seria capaz de voltar a acreditar no amor?
Uma jornada emocionante onde o amor é a chave para a superação.

Kaléo é o anjo da morte. Ele foi criado para simplesmente resgatar a alma das pessoas. Em uma de suas missões ele resgata a alma de uma senhora que morreu em acidente de trânsito. Kaléo descobre que ela estava com a filha, mas só quem estava destinada a morrer era a mãe. Depois que Kaléo resgata a alma ele fica fascinado por Carolina, a filha que sobreviveu ao acidente, e passa a cuidar dela mesmo sabendo que estava quebrando regras.

Carolina é uma jovem que sobrevive a um acidente, ela já havia perdido o pai a alguns anos e só tinha a mãe. Depois de ficar alguns dias em coma, Carolina acorda e descobre que sua mãe havia falecido, agora ela estava sozinha no mundo. Para Carolina isso foi a pior coisa que podia ter acontecido, ela não queria ter sobrevivido e pedia para morrer a todo o momento. Carolina entrou numa depressão profunda e nem os médicos estava ajudando.


Durante todo o seu sofrimento Carolina sentia que sua mãe estava ao seu lado e nos momentos mais difíceis uma paz a confortava. Mas o que ela não sabia é que não era sua mãe que estava ao seu lado e sim Kaléo, que a confortava e a ajudava a passar por esse momento difícil.

Kaléo era um anjo diferente, ele foi criado para não ter sentimentos, mas ele tinha. Sempre que ele resgatava uma alma ele tinha compaixão delas e tentava leva-las para o outro lado sem sofrimento e da melhor maneira possível. Todos os anjos da sua classe se espantavam com essa diferença em Kaléo, nem ele entendia porque era diferente. Quando Kaléo se viu apaixonado por Carolina fica muito confuso, mas segue os seus instintos e pede o criador para se tornar humano e viver o seu amor.

- Eu não tenho sentimentos humanos.- Você é o mais humano de todos nós. Você sente pena deles. Você tenta tornar o momento calmo e tirar a dor da perda. Isso não é ter sentimento?- Eu não sei explicar porque faço isso. Só não gosto de vê-los sofrer.

Nos braços de Um Anjo é um livro que fala sobre perda, sofrimento, depressão e recomeço. Sabemos que a depressão é uma das doenças que mais assola o mundo e como é difícil para quem sofre essa doença e para quem está em volta da pessoa que tem a doença. A escritora quis dá um alerta aos leitores e mostrar como é a doença e como podemos combate-la. Achei que o tema foi abordado de forma sutil e com bastante informação.

O toque sobrenatural é um quê a mais no livro. A autora não quis se aprofundar sobre anjos caídos, não quis falar sobre religião e nem lendas. A Glaucia quis colocar um diferencial na história e falar de um tema que ela gosta. Kaléo é uma pessoa fofa, amável, companheiro e com uma bondade sem tamanho. Ele se dedica a Carolina e sempre está ao seu lado. Ele foi o apoio dela e a ajuda que ela precisava para sair da depressão.

E eu desistiria da eternidade para tocá-la
Pois sei que você me sente de alguma forma
Você é o mais próximo do paraíso que chegarei
E eu não quero ir para casa agora

A capa do livro está linda e demonstra bem o amor que Kaléo e Carolina sentem. A diagramação está perfeita e dá para ver que foi feita com todo o capricho. A revisão está muito boa. As folhas são amareladas e o tamanho da fonte está ótimo para leitura. A edição está impecável.

E o que falar do final. Fiquei aflita e pensei que não terminaria de forma boa, mas a Glaucia deu uma reviravolta e terminou com chave de ouro. Podemos ver no livro um amor que transcende todo entendimento e que vai muito além da terra e do céu. Fiquei simplesmente apaixonada e confesso que queria mais do livro.

Super recomendo esse livro a todos que amam histórias com uma mensagem forte que via fazer o leitor refletir.





http://www.estantedasuh.com.br/2017/04/resenha-nos-bracos-de-um-anjo-de.html?showComment=1491221757342#c1605244523220565209

quinta-feira, 2 de março de 2017



Publicação Independente
Páginas: 160

Ano: 2016



Após um trágico acidente, Carolina fica em coma e descobre que perdeu a mãe. Em seu pior estado depressivo, ela é resgatada por Kaléo, um anjo, pois em diversos momentos sente que ele a conforta lhe dando uma paz que está longe de voltar a ter. Porém, o que ela não sabe é ele a impede de dar fim a própria vida. Com o tempo, Kaléo se dá conta que seu sentimento por Carolina é muito mais do que compaixão, mas existem regras inquebráveis que podem colocar tudo a perder. Ele abriria mão da eternidade por um amor humano? E ela, seria capaz de voltar a acreditar no amor? Uma jornada emocionante onde o amor é a chave para a superação.




O enredo é narrado em terceiro e se passa no Rio de Janeiro, onde ocorre um acidente de ônibus na Avenida Brasil, quando Kaléo é convocado para auxiliar dona Jurema a fazer a sua passagem.

Kaléo é um anjo da morte e sua principal função é auxiliar aqueles que estão atravessando para o mundo dos mortos. Apesar de ser um anjo da morte, ele tem uma compaixão incomparável com os demais anjos. Enquanto os demais são impessoais, ele é cativante e gentil com aqueles que estão confusos em seus últimos momentos. Essa diferença por si só causa questionamentos dos demais anjos, que não compreendem a forma de Kaléo agir. Mas a situação se torna ainda mais alarmante quando conhece Carolina.



"- Eu não tenho sentimentos humanos.- Você é o mais humano de todos nós. Você sente pena deles. Você tenta tornar o momento calmo e tirar a dor da perda. Isso não é ter sentimento?- Eu não sei explicar porque faço isso. Só não gosto de vê-los sofrer". (p. 23)



Kaléo conhece Carolina no acidente da Avenida Brasil e seus caminhos continuam
se cruzando enquanto a jovem está no hospital.
Carolina é uma jovem de 26 anos de idade é filha de dona Jurema, a senhora que o anjo ajudou a fazer a passagem. Quando desperta no hospital, descobre que perdeu a única pessoa que amava no acidente. A protagonista tem uma vida simples, onde se dedica ao trabalho e a sua mãe, que além de ser sua única familiar com quem tem contato é também sua melhor amiga. Então quando dona Jurema faleceu, Carolina caiu em uma depressão profunda, ficando desmotivada e questionando até mesmo os motivos para permanecer viva.

O fascínio de Kaléo por Carolina o leva a observá-la e ao perceber o estado de profunda depressão da moça, começa a enviar sensações que aliviem sua dor, como uma brisa ou até mesmo um perfume.

"- Que pior situação pode haver para alguém como eu? Quero senti-la e não posso! Eu quero cheirá-la, mas não consigo. Nada é possível! Nenhum contato! Eu não posso nem mesmo tê-la no conforto dos meus braços. Isso é uma maldição!" (p.27)

Porém, ele sabe que isso não é o suficiente e decide assumir uma forma humana. Colocando em risco uma das mais graves regras angelicais, Kaléo precisa descobrir o que o torna tão diferente dos demais anjos e como poderá ter algo real com Carolina.



"E eu desistiria da eternidade para tocá-laPois sei que você me sente de alguma formaVocê é o mais próximo do paraíso que chegareiE eu não quero ir para casa agora". (p. 120)

O trabalho de revisão, diagramação e layout está impecável. O livro contêm inúmeros detalhes internos que enriquecem o texto, como numeração em forma de asas e a imagem da capa no início de cada capítulo. A capa combina perfeitamente com o enredo e chama a atenção
.





http://www.mixliterario.com/2017/02/resenha-nacional-nos-bracos-de-um-anjo.html?showComment=1488474928654#c8552191332718049276