quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Diário de uma paixão



Diário de uma paixão
Nicholas Sparks

Nem preciso dizer que Nicholas é o queridinho das leitoras. Com uma leitura suave, doce e sutil, aborda uma enormidade de temas, entre eles dramas amorosos e familiares. Assim não poderia deixar de comentar ao menos um de seus livros. Seria uma injustiça da minha parte e até mesmo uma falta de gosto literário.

Não é novidade para ninguém que eu odeio ler livros que já assisti ao filme. Perco completamente o tesão pela leitura nessas circunstâncias e fiquei receosa em comprar esse livro, visto que já havia assistido o filme diversas vezes. Cheguei a comprar o DVD só para ver naqueles momentos de romântica melosinha. Quando o livro foi colocado na pré-venda, namorei algumas vezes e não comprei. Fiquei bem hesitante quanto a isso.

Depois de um tempo, resolvi ceder e adquiri o bendito. Comecei a ler e a primeira coisa que me chamou a atenção foi à narrativa mais rápida do Nicholas. Acho que para quem acompanha o grupo de discussão, não é novidade que acho a narrativa dele um pouco lenta. Ele detalha muito alguns pormenores e para dizer que o céu está azul e o dia lindo, escreve duas páginas. Só que nesse livro ele foi mais conciso e a leitura bem mais interessante. É claro que para variar o livro não foi exatamente como o filme e me tirou um pouco o encanto. Alguém pode me dizer qual a dificuldade em fazer um filme bem fiel à obra? Eu não sei, sinceramente, o que se passa na cabeça de produtores e roteiristas, mas às vezes dá um pouco de raiva. Tirando isso, tudo ocorreu bem até demais e para variar eu devorei o livro.

Nem preciso dizer que chorei horrores, preciso? Gente, eu li os últimos capítulos no ônibus, na volta para casa, e chorava de soluçar. O homem que estava ao meu lado chegou a me oferecer ajuda... Ai que vergonha! Mas valeu a pena. Foi tudo de bom.

Esse livro é de uma delicadeza tão tocante e a estória, por mais que não existam muitas aventuras e emoções, faz o coração do leitor palpitar de ansiedade, amor e nervosismo. A pessoa se imagina vivendo toda aquela situação e fica completamente em trânsito. Acho que foi por isso que chorei tanto...

Posso contar um segredinho? Para quem está lendo “Para Sempre”, pode ver que a minha narrativa “tenta” ser mais suave e sutil. E a estória, por mais que seja diferente, bem lá no fundo apresenta uma certa semelhança. Foi nos últimos capítulos do livro que eu imaginei “Para Sempre”. Não baseado no livro, mas nos dois velinhos que compartilharam uma vida e mesmo nos últimos momentos vivem uma amor tão real, que mesmo pelas circunstancias da vontade de está naquela situação. Eu não consegui me imaginar assim, mas tive que treinar e pensar como tal para escrever. Acho que está dando frutos, afinal vocês dizem adorar.

Agora vamos falar da estória de  Allie e Noah.No final das contas é ela quem importa aqui.

Amor adolescente, as primeiras descobertas, emoções e desejos. Os dois se conhecem quando Allie vai ver um tempo em Nova Berna e lá conhece o seu primeiro amor. A mais forte, intensa e inesquecível das paixões surge e os dois mergulham de cabeça. Vivem cada dia de forma intensa, como se fosse o último. As coisas ficam tão fortes e íntimas que a mãe de Allie, uma riquinha metida a besta e esnobe, decide que é à hora de separar os dois. Ela não vê futuro naquele romance e joga um balde de água fria... OH mulherzinha insuportável!

O momento da separação é difícil e conflitante, mesmo assim ambos guardam consigo a vontade de continuar a relação à distância. Mas a mãe de Allie não está disposta a permitir que a filha tenha o futuro arruinado, escondendo as cartas que Noah envia para ela. Ambos sofrem intensamente por aquela ruptura e mesmo o tempo não é capaz de apagar as cicatrizes deixadas.

Anos mais tarde, Allie se alista como enfermeira durante a guerra e conhece Lon, um rico, belo e apaixonado jovem que a envolve durante aquele período de carência. Allie reluta contra aquele sentimento, mas acaba se rendendo e os dois passam a namorar. Os pais dela aprovam a relação, baseados na posição social e no dinheiro dele, e logo ficam noivos. Tudo parece bem é ela está feliz com a proximidade do casamento, até o dia em que abre o jornal e vê aquele anúncio...

Noah passou anos amargurado, foi para guerra, arrumou alguns empregos e quando volta para a cidade decide comprar a velha casa onde ele fez planos com Allie. Com a ajuda de seu pai, ele começa a reforma. Mesmo após a morte do pai ele continua no plano de deixar aquele local o lugar dos sonhos dos dois. Tem uma amante, mas que não consegue mantê-lo apaixonado e desejoso. Sua vida é monótona e sem graça até o dia em que decide vender a casa. Parece estranho, mas depois de lutar tanto por deixar o lugar como queria, aquilo parece não satisfazê-lo e faz anúncio de venda. Vários compradores aparecem, mas nenhum parece bom o suficiente para o seu castelo de lembranças. Até o dia que ela ressurge...

A partir desse momento, os caminhos dos dois voltam a se cruzar e Allie tem uma difícil escolha a fazer. É algo muito difícil, pois largar todos os planos, o noivo e a família na véspera do casamento não é nada fácil. Só que aquela paixão, que passou tantos anos recolhida, explode de uma forma, que ela já não sabe se consegue viver sem ele.

No final de tudo, você vê dois velinhos, em uma casa de repouso, recordando tudo através da leitura de um diário...

Acho que já contei demais, né? Eu e meu linguão. Kkk Mas resumindo tudo, a estória é maravilhosa, doce, intensa e deliciosa. Toca o coração do leitor e o deixa completamente rendido. De todos os livros do Nicholas que li, esse foi o que mais gostei, apesar de amar Um amor para recordar (Um momento inesquecível), Diário de uma paixão se tornou um hino de amor. É o livro que terei sempre que quiser ler quando precisar amolecer o meu coração.

Se eu fosse definir em uma só palavra, diria que esse livro é TOCANTE!

Quem não leu, não deixe para depois. Vale à pena comprar.


Espero que gostem!

Sinopse
"Não sou nada especial; disso estou certo. Sou um homem comum, com pensamentos comuns, e vivi uma vida comum. Não há monumentos dedicados a mim e o meu nome em breve será esquecido, mas amei outra pessoa com toda a minha alma e coração e, para mim, isso sempre bastou." Noah Calhoun Assim tem início uma das mais emocionantes e intensas histórias de amor que você lerá na vida... O livro é o retrato de uma relação rara e bela, que resistiu ao teste do tempo e das circunstâncias. Com um encanto que raramente é encontrado na literatura atual, O Diário de uma Paixão de Nicholas Sparks, o consagra como um contador de histórias clássicas, com uma perspectiva excepcional sobre a mais importante e única emoção que nos mantém. Com mais de 12 milhões de cópias vendidas, o livro que emocionou as pessoas ao redor do mundo, foi traduzido para mais de 20 línguas. 

Bjus no core

2 comentários:

Nanda disse...

Tenho esse livro, mas ainda não li. Tenho um pé atrás com o NS. Li Querido John e A Ultima música.
O primeiro não gostei, mas o 2º ameeei.

Já vi o filme desse livro, mas os livros são sempre melhores né. Quero ler tbm!
Adorei a resenha! que bom o Sparks está com uma escrita mais rápida nesse livro.

Bjinhos

Daniela ♥ disse...

O livro é muito bom.....eu já o li e adorei fartei-me de chorar como sempre....mas como vi o filme primeiro (tao como vosse Glaucia) fiquei estranha após acabar o livro...
Mas gostei muito.
bjs

Postar um comentário