sábado, 14 de abril de 2012

Medo de Amar 10

Medo de Amar 10

Aquela noite foi uma das piores de sua vida. Jacob queria fazer justiça e estilhaçar Lord Colchester, mas sabia que pela reputação de sua amada teria que se conter. Ficou até altas horas no White’s, bebendo e jogando, para não pensar nas revelações de Renesmee. No final nada adiantou e foi para casa tentar aliviar a dor de cabeça e a ressaca. Tinha que estar disposto na manhã seguinte, para traçar seus planos. Só dispunha de três dias para arquitetar tudo e precisaria de muita ajuda.

Quando acordou já era tarde. Ele, no entanto, não podia se dá ao luxo de ficar na cama. Pediu que lhe trouxesse um café bem forte e deu as primeiras ordens para o seu valete. Tinha que fazer tudo a tempo e sem erro. A vida da jovem que amava dependia do seu empenho.



Ao chegar ao gabinete duas jovens já estavam a sua espera. Ele precisava do maior número de detalhes possíveis sobre a vestimenta que ela usaria no baile na mansão dos Langlay. Pediu que trouxesse a melhor estilista da cidade e a aia da jovem. As duas teriam que discutir sobre a roupa, a máscara e as medidas. A estilista teria pouco tempo para reproduzir um vestido semelhante e mais algumas peças, que entregaria depois. Afinal a jovem fugiria com a roupa do corpo e precisaria de um enxoval completo. Mas aquilo era coisa de mulheres. Ficou irritado só de ouvir toda aquela conversa sobre anáguas, espartilhos, babados e coisa que para ele eram futilidade. Mesmo assim permaneceu ali, paciente, ouvindo tudo e autorizando todos os gastos com materiais e mão de obra. Uma só costureira não daria conta do trabalho, a moça lhe garantiu.

Pediu para a jovem aia levar uma mensagem para a sua amada. Era breve e somente ela entenderia, caso caísse nas mãos de outra pessoa. Tinha que se certificar que entendesse o recado e tivesse esperanças:

A dança que tivemos foi maravilhosa. Apesar de tudo gostei de como dançamos.
Estou cuidando para que possamos estar juntos no próximo baile.
Não desisti de ti... Ainda tens meu coração cativo. Farei o que prometi.
 J.

Ela certamente entenderia que quando falava de dança, referia-se a conversa esclarecedora que tiveram. E no baile, estava tentando lembrá-la da fuga que prometera. Faria todo o possível para livrá-la das mãos de Edward Colchester e depois... Que Deus o ajudasse. Ele não teria a menor compaixão daquele homem. Ele o faria sofrer...  Muito.

Depois que as duas jovens partiram, foi à vez de chamar o seu valete para dar-lhes algumas ordens. Ao administrador pediu que fosse pessoalmente a sua propriedade em Excer, para preparar tudo antes da chegada da jovem. A guarda deveria ser redobrada, os empregados orientados a manter a maior discrição, e os capangas contratados para escoltá-la sem segurança, durante a fuga. Havia uma riqueza de detalhes que deveriam ser revistos e um plano a ser traçado, para isso precisaria que os homens estivessem com ele antes da fuga para discutir os pormenores. Se houvesse uma falha, os homens não poderiam ser reconhecidos e a jovem deveria ser escoltada para a propriedade mais próxima. Ele queria participar ativamente do plano, mas tinha que desempenhar um papel e ficar na festa até que os Colchester’s dessem pela falta da jovem.

Também precisaria da ajuda de seu amigo e sua esposa. Não queria envolver mais gente naquele plano, contudo estava sem alternativas naquele momento. Quando dispensou os homens, pediu ao mordomo para enviar uma missiva para seu amigo Derick, conde de Langlay. E ficou esperando, impacientemente, enquanto revia os detalhes que havia planejado. Nada poderia dar errado.

A porta do seu gabinete se abriu e Derick adentrou, após ser anunciado pelo mordomo, seguido por Alex. Aquilo era mais difícil do que imaginava. Os amigos os tomariam como louco. Ele não tinha como explicar o motivo da decisão tão radical, sem contar o que havia passado com a jovem.

 - Ora! Ora! Por que mandou me chamar assim tão cedo, Telford? – Langlay perguntou com sorriso sardônico. Ele viu um brilho travesso em seus olhos. Alex deveria ter lhe contado do encontro que tiveram na noite anterior, quando ele saia cuspindo fogo.

Sabia que seus amigos não deixariam em paz, então não se fez de rogado e começou a relatar a história, omitindo, é claro, os detalhes mais sórdidos. Ao terminar, estavam tão perplexos quanto ele e disposto a ajudá-lo nos preparativos para a fuga da sua amada.

[...]

Renesmee estava muito nervosa. Havia recebido a mensagem do “seu” duque e sabia que Lyan estava se encontrando com uma jovem estilista. Os três dias que se passaram, pediu cobertura para a prima Annabel. Porém tinha medo que a tia desse pela falta da serviçal. Estranhamente Annabel lhe contou que Catarina estava sendo cortejada pelo irmão do conde de Brandt.  Aquilo lhe dizia que tinha o dedo do duque. Sabia perfeitamente que o conde era um dos melhores amigos do duque de Telford e eles nem se tratavam com cerimônia. Era muito providencial que o irmão de um conde, dono de uma das maiores fortunas da Inglaterra, se interessasse pela prima. Mesmo sendo o segundo filho e não tendo direito ao título, a herança que receberia era suntuosa e, se por alguma desgraça, o conde morresse... Não queria pensar naquilo, mas algo lhe dizia que o duque havia premeditado aquela distração para a tia.

No início da noite Lyan e a prima foram ao sótão, ajudá-la a se vestir, e ela percebia o brilho travesso no rosto da amiga. Não disse nada e nem comentou sobre o caso. Mas a forma como a tratou, vestiu e se despediu naquela noite dizia tudo.

- Prometo que um dia a tirarei dessa casa. – Nessie sussurrou no ouvido de Lyan, antes de descer.

- Um dia você será a duquesa de Telford e pode me contratar como sua governanta. – A outra sussurrou e ela viu os olhos cheios de água. – Tudo dará certo essa noite. Milady  terá muitas pessoas te ajudando.

- Tem certeza? – Nessie perguntou e Lyan assentiu.

- Agora vá! Você está arrebatadora. É uma pena que o duque não desfrutará da sua companhia por muito tempo.

- Como ele saberá que sou eu? – Perguntou preocupada.

- Ele saberá! Ele saberá! Agora vá. – A amiga deu um último abraço e Nessie desceu a escadaria do sótão e olhou para trás pela última vez.  Nunca mais voltaria para aquele lugar. Nunca mais seria cativa, ameaçada e amedrontada. Estaria livre... Livre para viver...Livre para sonhar... Livre para amar? Nessie sentiu uma dor no coração. Não queria amar. Não queria se entregar a ninguém. O duque merecia alguém melhor do que ela. Mas pensar nele com outra pessoa lhe feria o coração.

Ao chegar ao topo das escadas, viu Edward em um fraque negro, usando uma máscara branca, que tapava parte do rosto, uma cartola e uma bengala. Estava muito bonito. Se não conhecesse o seu coração negro, até correria o risco de se apaixonar. Um homem alto, esbelto, com cabelos acobreado, lindo olhos verdes. Uma figura simplesmente exuberante.  Ao perceber os seus olhos em si, um frio se apossou do coração. Ela teve medo da forma como a olhou. Havia luxuria naquele olhar. Não queria nem imaginar suas mãos tocando seu corpo novamente. Aquilo lhe causava repulsa.

A tia estava vestida de espanhola, com um vestido vermelho, um decote bem indecente que deixava os seios fartos a mostras. O vermelho do vestido se contrastava com rendas negras, combinando com sua máscara e com a enorme pena que saia dela. Tinha uma aparência vulgar, a seus olhos, e certamente estava se achando bela e sensual. Não entendeu como Edward poderia permitir a mãe sair daquela forma. Certamente as pessoas comentaria a falta de recato.

Annabel usava um vestido e máscara amarela. Não havia nada de especial na roupa. Estava muito simples, para dizer a verdade. Sentiu pena da prima ao observá-la. Em contrapartida, Catarina estava usando um vestido verde de cetim lindo, a cintura muito apertada pelo espartilho, o decote do vestido era exagerado para uma donzela, a máscara negra era bem feita e dava um ar misterioso. Os cabelos preso em coque trabalhado e mechas caiam pelas costas e pela testa. Estava realmente bela e sensual. E Nessie esperava que causasse problema, assim a tia e o primo teriam uma distração enquanto fugia.

Ela parou por alguns instantes e observou sua própria roupa. Estava mais arrumada que as primas e parecia uma princesa. Edward queria tanto impressionar a sociedade, que mandara lhe fazer um vestido todo prateado e com pequenas pedras, que pareciam diamantes. Ele era bem rodado, com uma armação de arames que subia até a cintura e a deixava bem fina, e longas camadas que lhe fazia parecer um bolo. O vestido era pesado, dificultando a movimentação da pessoa. Pensou como fugiria com aquela coisa enorme e pesada. Sentiu medo naquele momento, apesar de Lyan ter garantido que o duque havia planejado tudo.

Após descer as escadas, estendeu a mão para Edward, que a segurou delicadamente e a beijou. Sentiu enjôo ao seu toque, mesmo estando de luvas. Ele lhe causava repulsa.


- Minha querida, está ainda mais bela essa noite. – Disse observando seu rosto. – Espero que saiba que ficaremos de olho em você. Não sairá de perto da mamãe. Não é mãe? E não dançará com ninguém sem minha autorização. Estamos entendidos? – Perguntou dando o braço para Nessie. Ela assentiu com a cabeça e nada disse.

- Se o duque chegar perto, você diga que está se sentindo mal e não pode dançar. – Disse a tia enquanto saiam.

Entrar na carruagem foi uma complicação e Nessie ficou se perguntando como seria fugir da festa. Aquele vestido não ajudava em nada. Foi com a tia e as primas, depois de se ajeitar com muito esforço, enquanto Edward seguiu em um coche de aluguel. A cada momento sentia o coração batendo mais forte. Uma, por estar novamente com  seu duque, e outra por finalmente fugir daquela gente odiosa. Já não se agüentava mais de ansiedade.

Quando o cocheiro parou na fila de carruagens, Nessie já não suportava. Queria sair dali correndo, mas teve que segurar todo seu desespero e tentar disfarçar. A tia, a toda hora, lhe olhava com uma estranha expressão. Ás vezes Nessie tinha a impressão de que ela sabia de tudo e sentia medo. Outra parecia que a tia queria estrangulá-la. Catarina resmungava o tempo todo e Annabel parecia constrangida naquela roupa. Sentiu dó da prima por algum tempo.

Finalmente chegaram a mansão dos Langlay e Edward já estava as esperando na porta da mansão. Deu o braço a Nessie, que se arrepiou inteira, e seguiram na fila de convidados.

Apesar de a mansão ser enorme e bonita, ela não conseguiu parar para prestar atenção nos detalhes. A todo o momento seus olhos varriam o local em busca de um certo alguém. Mesmo em uma festa com muitos homens, ela distinguiria o duque entre eles. Seria impossível não notar um homem alto, forte e com porte que ele sempre tinha. Saberia quem ele era no momento que o visse.

Quando chegaram aos anfitriões da festa, a jovem Lady Langlay a abraçou e cochichou em seu ouvido: - Tudo dará certo essa noite. Eu a ajudarei. – Nessie assentiu e percebeu o olhar cúmplice do marido. Então todos sabiam. Ela teve certeza, pela forma como ele a olhou. Ao menos com a ajuda deles o plano tinha chances de dar certo.

Juntou-se a tia e as primas, caminhando pelo salão, observando as outras pessoas com fantasias incríveis e estranhas. Tudo era uma grande novidade e ás vezes achava graça quando alguém aparecia com “algo” muito diferente e colorido. Mas a verdade era que estava louca para ver o objeto de sua admiração. Sabia que a tia a observava e que deveria manter-se longe dele. Mesmo assim continuou a vasculhar o salão a sua procura, com coração batendo descompassadamente.

Em determinado momento da festa, um jovem com cabelos claros e olhos incrivelmente azuis se aproximou a tirou para dançar. No meio de toda a animação, a tia não teve como impedir. Os dois começaram a bailar pelo salão, e só então ela soube de quem se tratava. – Oi Bela adormecida! Eu sou o conde de Brandt, amigo do Telford. Temos uma fuga para realizar. – disse com sorriso brincalhão. O coração de Nessie quase parou naquele momento.

- Onde... Onde... – Ela não conseguiu falar. Começou a procurar por ele, mas não o encontrou.

- Vamos dançar até aquele corredor. Ali tem uma passagem secreta e lá faremos a troca. Você o verá antes de partir, Lady Adormecida! – Nessie assentiu e o jovem continuou dançando, dançando e dançando. – Nervosa com a fuga? Não é a primeira vez, não é? Tudo dará certo. – Quando percebeu, depois de rodopiar muito, estavam no corredor e ele tratou de tirá-la dali o mais rápido possível. Colocou a mão em uma escultura e uma porta se abriu. Os dois entraram rapidamente, tomando cuidado para não serem visto, e quando percebeu estava em outra sala.

Observou viu uma jovem vestida exatamente como ela. E o duque conversava com a moça, enquanto uma serviçal a arrumava.  – Jacob! – Ela correu, em um ímpeto de inquietação, e se atirou em seus braços. – Pensei que não vinha mais. – Disse ao abraçá-lo forte. – Estava tão angustiada.

- Eu disse que viria. – Ele a abraçou forte e naquele momento, era como se estivessem sozinhos. Ninguém importou para ele ou para ela. - Agora você trocará de roupa com ajuda da jovem serviçal e de Lady Langlay. Depois a jovem irá acompanhá-la a até a carruagem. – Disse beijando a testa dela.

- Mas e minha tia... – Ele colocou o dedo em seus lábios, antes que pudesse falar.

- Ela colocará a sua máscara e sairá comigo. Dançaremos duas danças e enquanto isso o irmão do Alex vai distrair a sua tia, e seu primo. No final da festa, a jovem aqui vai trocar de roupa e você já não estará mais a vista. Eles nem saberão por onde começar. Agora ande!! Troque logo de roupa e vá. – Ele depositou vários selinhos em seus lábios. – Sentirei muita a sua falta. Assim que possível irei ao seu encontro. – Afastou-se dela.

- A máscara!  - A jovem dublê falou.

- Lady Woody, tire a máscara e passe para a jovem. – O duque ordenou e Nessie o obedeceu, retirando a máscara com a ajuda da serviçal.

- Tudo dará certo e seu primo pagará pelo que fez. Cuida do meu coração que leva contigo, minha doce donzela. – O duque beijou a sua mão e depois saiu, sem olhar para trás, acompanhado do amigo e da dublê. Nessie sentiu um fio de esperança, mas também um vazio no peito. Queria ficar mais tempo com ele. Queria que fosse junto. Sabia que não podia, mas seu coração estava triste com aquela curta separação.


[...]

Jacob saiu da passagem secreta com a dublê e depois lhe deu o braço. Ele já tinha orientado a moça a não falar, sorrir sempre para ele e parecer assustada diante dos parentes. Era imprescindível que não descobrissem a troca até Renesmee estar bem longe da festa.

Os dois voltaram, dançando, para o salão e misturaram-se aos demais casais. A jovem cumpria bem o seu papel. Olhava-o com expressão encantada e os dois dançaram duas danças, fingindo conversar. Depois Jacob a levou para onde algumas jovens estavam sentadas, e tirou algumas senhoras para dançarem com ele. Nunca dançou tanto e com tantas mulheres em uma festa, mas procurou estar sempre à vista dos convidados.

Ele observava, vez ou outra, que a dublê contratada para a sua amada estava se saindo bem. Mas só conseguiu ficar tranqüilo, quando a farsa chegou ao final e ela saiu de perto da Senhora Wood, como haviam combinado, e foi para a passagem secreta a fim de trocar de roupa e de máscara. Quando os parentes dessem por falta de Renesmee, ela estaria bem longe dali e ninguém poderia acusá-lo de nada... Plano perfeito.

[...]

 Aquela não era uma boa noite. Cordélia Wood estava aflita. Sua filha Catarina havia sumido, mais de uma vez, com William Spencer, irmão do conde de Brandt. Ela achava o cortejo até vantajoso. Sabia bem como eram os jovens e no momento em que a filha fosse alvo de um deles, os outros logo apareceriam para cortejá-la. Não que o Sr Spencer fosse mau partido. Ao contrário disso. O jovem pertencia a uma família muito rica e de prestigio, contudo era o segundo filho e assim não herdaria o título e as propriedades. Ela sabia bem como funcionava aquilo. Até aquele momento não se conformava por não ostentar o título de Lady. Casou-se com o segundo filho do marquês de Colchester e o marido nunca virou marquês. O filho assumiu o título e só sua esposa seria chamada de Lady Colchester. Ela sempre seria senhora Wood. Aquilo era humilhante e não desejava tal futuro para a filha.

Catarina não tinha juízo e por mais de uma vez sumiu com o irmão do conde. Teve que recorrer a Edward para encontrá-los e por sorte não foi em uma situação desagradável. Odiaria ter que casar a filha as pressas. Justo a mais bonita e com futuro promissor.

Além das escapadas, Catarina havia dançado mais de uma vez com ele e estava na sala de jogos, em determinada ocasião, coisa que não era aceitável para uma donzela. Logo cairia na boca do povo.

Por causa disso, mal teve tempo para ficar de olho na sobrinha. Viu, uma das vezes, que dançava com homens diferentes. Mas por causa das máscaras, não conseguiu distinguir quem eram. Somente algumas horas depois, a sobrinha se juntou a ela e, como sempre, ficou calada. A jovem só observada tudo a volta e parecia que procurava alguém. Aquilo já estava irritando. Sabia que seus olhos buscavam o duque de Telford.

Cordélia mal teve tempo para se divertir, quando Annabel veio avisá-la que Catarina estava dançando novamente com Sr Spencer. Aquilo seria um desastre. Uma jovem dançando mais de duas danças com um homem significava compromisso e ela não queria aquilo para filha.  Assim ela saiu de onde estava e tirou a filha do meio do salão, chamado a atenção de alguns curiosos. Era a gota d’água. Onde estava Edward que não cuidava das irmãs e da noiva? Teria ela que passar a noite inteira cuidando das jovens? Aquilo a irritou de tal forma, que largou as  filhas sentada e foi tomar um ar no jardim. Precisava respirar um pouco.

[...]

Edward estava na sala de jogo quando o Telford entrou sorridente. Ele não suportava o homem. Sabia bem que estava interessado em “sua” futura esposa e aquilo a irritava. Podia jurar que o tinha visto dançando com ela. Reconheceria aquele vestido prateado e aqueles cabelos vermelhos em qualquer lugar. Fez o possível para se controlar e não fazer uma cena. Quando chegassem em casa, faria aquela “vagabundazinha” pagar caro pela audácia. Estava farto! Simplesmente Farto! Anunciaria o seu noivado no próximo baile. As pessoas já os tinham vistos juntos e não estranhariam o anúncio.

Já era muito tarde e Edward havia perdido muito no jogo. Lord Langlay ganhou dele naquela noite quatro mil libras e não sabia como pagaria a dívida. Até o casamento e a maioridade de Renesmee, não teria dinheiro e os credores estavam no seu encalço. Decidiu ir embora. Não suportava mais perder e assistir de longe o sorriso de Telford. Mesmo com a máscara, ele conhecia bem o duque para saber que era ele, junto com Langlay e Brandt. Estava cansado de ser humilhado. Quando pusesse as mãos no dinheiro da noiva, faria aqueles idiotas pagarem caro pela audácia de debocharem dele. Os três brindavam descaradamente pela sua derrota.

Saiu da sala de jogos cuspindo fogo. Tinha que deixa a mãe, as irmãs e a noiva em casa, e depois partiria para sua casa. Arrumaria uma companhia agradável para passar a noite e faria muito sexo. Estava precisando daquilo e depois do desastre na mesa de jogos, só um bom sexo o acalmaria.

Foi ao encontro da sua família e encontrou somente as irmãs. Catarina estava com a expressão azeda e Annabel parecia se divertir com algo. A mãe e a Renesmee não estavam junto com elas. Chamou as irmãs e foram procurar a mãe. Depois de algum tempo, encontraram Cordélia tomando um ar fresco no jardim. Mas Renesmee... Essa ninguém havia visto.

Telford continuava na mesa de jogo com os amigos e ninguém sabia da sua noiva. Ele começou a desconfiar que algo estava errado. Foi tomado por um desespero profundo ao perceber que ela havia desaparecido. Levando-se em consideração que faltavam menos de dois meses para o seu aniversário, precisava fazer algo. Nem que para isso fosse preciso chamar a polícia e invadir a casa do duque a procura de sua noiva. Renesmee era “sua” e não abriria mão disso. Nem que para isso fosse necessário matar o duque. Edward estava disposto a tudo. Em meio aquela crise financeira, uma noiva muito rica e descartável era sua única saída naquele momento. E o duque não passaria a perna nele... Não mesmo.

[...]

Nessie estava surpresa com tudo aquilo. Não sabia como seria o plano de fuga. Só sabia que o duque tinha algo bem elaborado. Sua amiga e aia, Lyan, passou algum tempo ajudando na elaboração do plano. Mas aquilo era surpreendente. Havia uma jovem parecida com ela, usando um vestido idêntico ao seu e uma máscara bem parecida. Só que para não desconfiarem da máscara, fizeram a troca antes da jovem ir para o baile com o duque. Ela queria passar mais tempo com ele e saber como tudo aconteceria. Às coisas aconteceram rápido demais e quando ela percebeu, foi conduzida para outro cômodo, por uma passagem secreta, e a jovem esposa de Lord Langlay e ajudava a trocar de roupa.

- Você precisa se disfarçar. – Disse Lady Langlay. – Não são muitas jovens com cabelos ruivos. Por isso vamos colocar uma peruca loira. Como é um baile a fantasia, ninguém notará nada de errado.

- Como Jacob... Quer dizer Sua Graça conseguiu fazer isso tudo? – Ela perguntou enquanto a condessa a ajudava a retirar o espartilho.

- Telford é muito inteligente e começou a elaborar esse plano no último baile, pelo que soube. – Parecia constrangida com o assunto. – Não sei quais são as circunstâncias de vocês dois. Só o que meu marido me disse, é que seu primo que obrigá-la a casar com ele para roubar sua herança. E Telford não está disposto a permitir isso. Meu marido me disse que nunca viu o amigo envolvido desse jeito. Se está fazendo tudo isso, é porque verdadeiramente a estima. Ele tem essa fama de mau, mas no fundo é boa pessoa. Na verdade um doce, quando você o conhece bem. Mas creio que vocês já se conheçam, pelos comentários que se ouvem em Londres. – A mulher deu um risinho e Nessie sentiu as bochechas queimarem.


- Quais são os comentários, Milady? – Ela precisava saber o que se falava dela e do duque.

- Que desde que Telford conheceu certa jovem de cabelos ruivos, nunca mais teve uma amante. E o fato de ter dançado com essa jovem nas duas festas, significa que há um interesse verdadeiro. E meu marido diz... – Lady Langlay se calou.

- O que seu marido diz? – Ela perguntou, enquanto tirava o vestido  e já ia colocando outro.

- Que ele está perdidamente apaixonado, apesar de não admitir isso nem para si mesmo.

- OH! – Ouvir aquilo era estranho. As pessoas já haviam percebido o interesse e, provavelmente, era por isso que Edward tinha tanta pressa no casamento.

- Não vou apertar muito. Você precisa se sentir confortável para a viagem que fará. A criada colocou uma cesta de lanche na carruagem, junto com a valise de roupas que separei para você. Telford encomendou um enxoval completo, que chegará na próxima semana. Tenho certeza que ele fará o impossível para levá-lo pessoalmente. – Deu uma risadinha e depois começou a ajeitar a peruca, que havia ficado torta, na cabeça de Nessie.

- Agradeço pelo que fez por mim, Milady – Nessie disse e a jovem Lady a abraçou com ternura.

- Faça uma boa viagem e cuida bem desse coração. Se algo lhe acontecer, Telford ficará muito mal.

- Eu me cuidarei! Eu me cuidarei! – Antes de partir, seguindo a serviçal, Nessie se virou e perguntou. – A propósito, sabe para onde estão me levando?

- É sigiloso! Ele preparou duas rotas de fuga e você será escoltada por uma verdadeira comitiva. A criada irá com você, para auxiliá-la em tudo e os homens têm ordem de atirar, se alguém tentar impedir a fuga. Agora vá! O tempo está passando. Não sabemos até quando a moça conseguirá enganar a sua tia. – Nessie assentiu e seguiu a criada.

Continuaram usando passagens secretas, corredores escuros e vazios. Ela achava aquilo muito estranho, mas estava fugindo e precisava sair sorrateiramente.

As duas chegaram aos fundos da mansão, onde havia uma carruagem bem discreta e dois cavaleiros, montados em seus cavalos, a espera. A noite estava fria e um vento gelado soprou, fazendo seus pelos ouriçarem. O cocheiro abriu a porta e a ajudou a subir. Depois que a criada entrou, fechou a porta e partiu em disparada pela noite sombria. Ela abriu a janela e viu que mais cavalos se juntaram, ladeando a carruagem, no decorrer do caminho. Conseguiu contar dez cavaleiros mal encarados. O duque realmente estava disposto a tudo.

Ela começaria uma nova vida, longe de Edward e da tia, e um dia, quando tivesse o que era seu por direito, vingar-se-ia dos dois. Aquilo era uma promessa. Quanto ao duque... Só o destino sabia o que havia reservado. No momento, ela só tinha certeza que os sentimentos por ele haviam aumentando e ir embora, sem saber quando estariam juntos novamente, estava fazendo a sofrer. Queria muito que ele estivesse ao seu lado naquela viagem. Começava a sentir algo que a amedrontava. Não queria amar... Mas os sentimentos estavam surgindo e não conseguia evitar de sentir medo... Medo de Amar.

Glau
Miguxas esses caps não sairia hoje. Eu estou bem cansada e não tive uma semana nada fácil. Estou simplesmente exausta, mas também não sei quando conseguirei digitar outro cap. Por isso estou aqui postando para vcs.
A Heri está de mudança, então não tive betagem no cap. Se alguém encontrar erros, anotem por favor o trecho e me mande mensagem. Já são quase meia noite e minha vista nem agüenta mais. Cheguei do shopping as dez horas e vim terminar o cap.
Não saiu como gostaria, afinal quando se esta estressada e cansada a coisa acaba não saindo a contento, mas espero que dê para o gasto.

Obrigada pelos comentários!!
Espero que tenham gostado das mudanças no blog

Bjs no core


9 comentários:

Unknown disse...

AAAiii que espectativa da Nessie ter fugido não vejo a hora da proximo capitulo, sim tem uns errinhos basicos mas todos aceitaveis rsrs
Bjus no core...kkk
Jana Godoy

hilsiane disse...

Nossa ainda bem que a nessie fugiu se nenhum problema ta aciosa pela fuga dela ,finalmente a nessie vai poder se feliz eu amei o cap,parabens pela fic eu amo essa fic.ps;to com sono vou dormi amanha comento mais sobre o cap e a fic bj;anne

Virginia disse...

Ela conseguim ate que enfim
agora so falta o Jacob se vinga do Edward... kkkk.
ficou perfeito o plano de fuga.. bjxxx
amei tudo Glaucia.

elaine disse...

Ola glau cosegui acessar ufa tava quase tendo uma sincope desespero total mas no fim to aqui o capitulo ta emocionante eumorro de raiva dessa tia orrorosa e esse primo montro quero que o jak corte o seu brinqudo fora e ainda bem que agora a ness esta protegida pelo totoso do jacob bjs flor ...

Deia disse...

Olá, tive que ler o capitulo em duas etapas, e tenho um monte de coisas para fazer, mas não podia deixar de passar aqui para pelo menos dizer que o capitulo estava perfeito, finalmente ela conseguiu fugir, (ou será que não?) Tenho para mim que muita coisa anda vai acontecer, estou muito anciosa por que esta chegando cada vez mais perto a hora da vingança de Jacob, por favor nessa hora não economisa na imaginação, estou tão anciosa para esse capitulo como estou pera outro(MOMENTO PERVA).
Jacob esta disposto a tudo para salvar a Nessie, e finalmente ele vai se deixar amara por alguem, e ela?
Tomara que ela não se feche a tente o expulçar de sua vida.
Bjos

hilsiane disse...

glaucia primeiro de tudo queria te agradece por ter mim aceitado no face,e colocado meu e-mail para eu poder ler essa fic ja que as outras eu ja lie e amei muito ler elas,agora eu to amado essa fic,parabéns pela fic maravilhosa que vc tá escrevedo ,como todas as outras que vc já escreveu ,inclucivel eu apredir ama fic por causa das suas ,a primeira foi sol da minha vida e eu amei muito,nao deixe comentario nela porque não tenho nyan ,mais eu amei aquela fic como todas as outras sua,ate salve o final de algumas.eua amo fic jake e nessie ja que a stephenie meyer deixou a deseja o final do jake que sofreu tanto na saga ,fez de tudo para ajuda a bella e no final a nessie terminou criança ,ela devia ter feito pelo menos mais um livro contado a historia do jake e da nessie que é muito mais interessante do que a bella e edward.mais como eu ja disse no comentario anterior amei o cap ,ainda bem que a nessie fugiu ,e agora o jake vai se vigar do monstro do edward,também tou louca para ele e a nessie ficarem juntos e se entrega a esse amor ,par ela se livra desse trauma que ela carrega e saber o quanto é maravilhoso esta com que se ama e perde esse medo de amar pricipalmente se fou com o gostoso do jake.boa sorte com olivro vai ser um sucesso porque vc é um otima escritora.bj;anne

Káká disse...

Bem, esse cap esta demaisss. Será que a Nessie conseguirá fugir??? Espero fervorosamente que sim... o Duque de Telford elaborou um plano maraaa... Agora o Jacob tem que acertar as contas com o Edward e a mãe dele....
Glau, a cap história, a cada cap você me surpreende mais....
Bjsssss

Daniela ♥ disse...

Olá minha diva, hoje estou super atrapalhada e ontem também, eu já li o capítulo ontem, mas não consegui comentar pois estava super enrolada aqui no trabalho, hoje não é muito diferente, mas não quis deixar mais tempo sem comentar e mesmo o comentário ser pequenino voçe sabe que é do coração e é a minha opinião sincera.

Vamos lá…
Querida o Jake ajudou-a mesmo a fugir…ele é bem esperto…só espero que o Edward não consiga desfazer esta fuga… a Nessie tem que fugir daquele crápula!!!

O Jake tem que dar uma boa lição ao Edward xD

Uhh estou ansiosa que o Jake vá ter com a Nessie nesse novo lugar!!!

Eles já estão completamente apaixonados um pelo outro =D

Agora: Glaucia demore o tempo que precisar, mesmo que o capitulo demore um pouco mais, o importante é que esteja bem e se um dia está mais cansada é preferível descansar nesse dia e depois no outro estar melhor e conseguir escrever com mais facilidade de modo a não ficar tão cansada com a escrita!

Bem, vou ficar a roer as unhas (ok agora é impossível, pois coloquei unhas de gel, mas vou ficar a puxar os cabelos xD)…

Beijos grandes querida!!!

Daniela Cristóvão

Unknown disse...

Oi, Glaucia
Então vou sugerir duas fanfics que na minha opinião é excelente!
1º Dangerou de Dayalukina e Dark_Josi, nossa essa fic é dez msm a enredo maravilhosa com desenvolvimento as claras. https://www.fanfiction.com.br/historia/136652/Dangerous/ageconsent_ok
2ºÉ Mentira: funcionaria do mês, muito emgraçado os personagens, só lemdo mesmo.

https://www.fanfiction.com.br/historia/170962/Mentira_A_Funcionaria_Do_Mes
Então esta é minha sugestões espero que lhe agrde também!!
Bjus até mais....
Jana Godoy

Postar um comentário