quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Antes que tudo termine - Final


Teve um tempo em que achei que a felicidade jamais voltaria a sorrir para mim, mas tudo se provou ao contrario e nesse exato momento teria alguém mais feliz que eu? Não, simplesmente por que eu tenho tudo o que sempre sonhei e desejei!

Eu amei e amo apenas uma mulher e isso definitivamente é algo que jamais irá mudar. E como eu poderia simplesmente a deixar partir enquanto sentia tanto amor por ela dentro de mim. E quando digo isso entenda que não é qualquer amor, é o mais puro e verdadeiro de todos os amores. 

Definitivamente não podia! Eu precisava e preciso dela como preciso do ar para respirar. Nessie é essencial não minha vida e sem ela definitivamente eu não sou nada, e me perco errante sem destino, sem vontade de viver.

– Onde você está me levando. - Nessie perguntou curiosa.

– Em um lugar especial para vermos o dia amanhecendo juntos. - ela encostou a cabeça no meu ombro enquanto colocava a mão na minha coxa. - Prometo que quando chegarmos em casa eu coloco você para dormir.

– Não me importo com mais nada desde que esteja com você. - seus lábios tocaram meu rosto.

Não havíamos dormido nada já que havíamos passado a noite nos amando intensamente. Quando comecei a dirigir em direção ao penhasco ela logo entendeu onde eu a levaria. 

– Eu sei que você ama esse lugar e sei lá, eu estou tão feliz por que você vai me dar mais um filho que me deu vontade de ver o por do sol com você aqui, como nos velhos tempos lembra?

– Como poderia me esquecer de quando vínhamos aqui depois das festas, ou quando queríamos fugir dos nossos pais, ou quando queríamos ficar nos beijando e nos agarrando dentro do carro. - realmente tínhamos inúmeras lembranças que guardaríamos sempre conosco e era maravilhoso termos vivido tantas coisas juntos, éramos completos até mesmo nisso já que nossas memórias estavam ligadas.

– Foi aqui que resolvemos que fariamos amor pela primeira vez, à gente ficou se agarrando e não agüentou mais e resolveu que a hora havia chegado. - parei o carro e descemos juntos enquanto me lembrava da felicidade que senti quando a Nessie disse que queria ser minha. Me lembrei do seu rosto corando.

– E teve aquele dia em que eu deixei meu celular com você e surtei na manhã seguinte fizemos amor aqui dentro do seu carro, naquele dia eu comecei a perceber que não estar com você era o maior erro que eu poderia cometer na minha vida! - andamos de mãos dadas até a beira do penhasco.

Ainda tínhamos um tempo antes de amanhecer. Abracei a Nessie por trás colocando meu queixo em cima do seu ombro.

– Noite maluca aquela fala sério. - ri ao me lembrar de tudo. 

– Muito eu fui na sua casa fazer o trabalho da escola e você era da mesma turma que eu. Não era isso? - sorri ao me lembrar.

– Na verdade era um trabalho em dupla de biologia e eu fiquei te atormentando dizendo que estudar biologia era chato mais se fosse com modelo vivo e de preferência com você as coisas ficavam mais interessantes. - Nessie gargalhou e eu confesso sempre fui doido por ela.

– Sempre tarado por que será que isso não me surpreende. - literalmente gargalhei. 

– Então terminamos o trabalho e sua mãe disse que não era para você voltar sozinha por que era tarde e claro eu como era um cara muito legal e ela confiava muito em mim ficou tranqüila quando disse que levaria você até em casa. - as lembranças vinham em todos os detalhes dentro da minha cabeça e era como estar vivendo tudo novamente.

– E você disse que eu tinha medo de ficar sozinha com você por que eu não resistiria e acabaria o beijando e eu claro querendo mostrar que eu mandava em alguma coisa, arrogantemente disse que você não tinha efeito nenhum sobre mim... - a interrompi.

– Sim até que eu desafiei você e disse que te traria aqui e que duvidava que você ficasse perto de mim sem me beijar e que você literalmente imploraria por mais e você bufou duvidando de mim. 

– Eu não sei onde estava com a cabeça de apostar isso com você, era nítido que sentia falta do seu beijo e morria de vontade de fazer amor com você e sempre que eu me lembrava da nossa primeira vez eu fantasiava que queria uma segunda, terceira vez, enfim eu queria fazer amor com você a minha vida toda.

A virei para mim de modo que ficássemos abraçados um de frente para o outro. Rostos a centímetros de distância de modo que a respiração pinicasse a pele.

– E eu parei o carro e ficamos nos provocando lembra? Você se aproximava do meu rosto e ficava dizendo que não iria me beijar e depois disse que estava com calor e ficou apenas de regata branca e eu tirei a camiseta dizendo que também estava com calor, e você suspirou pesadamente não agüentando mais eu te puxei pra mim, beijei seu pescoço e seu rosto enquanto minha mão nada boba passeava pelo seu corpo e eu te perguntava se você ainda iria dizer que não sentia nada por mim, e você ainda se fazia de durona até que eu te dei prazer apenas tocando em você e então você terminou a noite me pedindo mais de mim e literalmente gritando meu nome e eu o seu. - toquei seus lábios de leve.

– É verdade e na manhã seguinte eu estava toda confusa e surtando por que me culpava por permitir que você tivesse tanto efeito sobre mim. - ela deu um sorriso bobo como se estivesse se lembrando do que havia sentido.

– Mas melhor que aquele dia foi quando aqui mesmo nesse lugar você me disse para ficar ao seu lado, que me amava... - sorri ao lembrar não somente das palavras mais também das sensações que sentimos naquele dia. - Por que você havia dito que ficar comigo naquela noite havia sido um erro e eu fiquei mal por que pra mim tinha sido tão mágico ter você em meus braços gemendo meu nome e tendo prazer comigo. 

– Foi a primeira vez que eu realmente disse que te amava não é? - ela perguntou curiosa.

– Foi e eu estava angustiado por que não agüentava mais viver longe de você, eu a queria ao meu lado e me xingava por ter lhe dado de bandeja para o Seth. - fiz careta ao me lembrar da Nessie beijando o Seth era realmente muito estranho.

– Idéia idiota aquela nossa... Desistir do verdadeiro amor. - ela sacudiu a cabeça. - Tínhamos tendência a fazer coisas erradas. - ri do modo como ela falou.

– Sim tínhamos e agora temos a certeza de que fizemos tudo certo. - acariciei seu rosto. - Ou você se arrepende de alguma coisa? - arquei a sobrancelha.

– Me arrependo... - por essa eu realmente não esperava.

– Do que você se arrepende. - beijei seu pescoço ainda temeroso pelo que ouviria.

– De ter ficado longe de você por tanto tempo, você tem noção do quanto eu te amo? - foi sua vez de beijar seu pescoço e eu sorri todo bobo diante do que ela me dizia, na verdade Nessie poderia me dizer as mesmas coisas todos os dias que ainda assim eu continuaria sorrindo igual a um bobo diante dela. 

Eu na verdade não me importava nem um pouco de ser um cara romântico, que adorava ouvir e dizer que amava desde que no final de tudo eu a tivesse na minha cama e pudesse amá-la intensamente. 

– Se for igual ao meu eu consigo imaginar. - olhei em seus olhos com profundidade. - Você sabia que é a única que me conhece por completo? Que sabe exatamente como eu me sinto e como eu gosto de ser tocado? - ela sorriu 

– Você também é o único que sabe tudo sobre mim, é o único Jacob a quem eu amei e amo, alias eu já lhe disse isso várias vezes.

– Mas é bom ouvir, não me incomodo nem um pouco. - coloquei minha mão na sua nuca onde eu a acaricie antes de tocar seus lábios com meu polegar e olhar intensamente nos seus lábios que eu tanto amava beijar.

Diminui o espaço entre nossos lábios de maneira lenta. Primeiro toquei seus lábios levemente, apenas os acariciando com o meu e sentindo aquela explosão de desejo subir por todo meu corpo e me dominar por completo. Senti aquele frio em meu estômago e acho que definitivamente isso jamais mudaria.

Por varias vezes eu vim sozinho nesse penhasco, me sentava e ficava imaginando a minha Nessie comigo, a sua presença sempre foi mais forte aqui acho que pelo fato dela amar tanto esse lugar mais definitivamente nada se comparava a te-la aqui comigo me desejando e me amando.

Suguei seu lábio inferior a ouvindo soltar um gemido pequeno de prazer e logo em seguida suguei o superior e ela sorriu de olhos fechados se entregando completamente a mim, demonstrando que me pertence totalmente.

Nessie não tinha medo de se entregar a mim, ela não tinha medo de me amar, ela se entregava aos meus carinhos e demonstrava isso nas suas reações. 

Visualizei como será quando nossos filhos estiverem grandes e me perguntei se nosso amor irá mudar...

Não ele jamais mudaria! Na verdade acho que ele será como o melhor vinho, de uma safra especial em que o tempo se encarrega de o tornar ainda melhor de ser apreciado e degustado. 

Sempre nos amaríamos! 

Busquei sua língua com a minha a enlaçando, tocando-a, sentindo seu gosto me invadir por completo. Nossas línguas se reconheciam como parte uma da outra e a prova disso era a sensação que vinha acompanhado do simples toque dos nossos lábios e definitivamente Nessie poderia me levar ao prazer somente tocando e acariciando minha língua. 

Seu gosto se misturava ao meu o tornando único e especial, jamais me cansaria de beijar sua boca tentadoramente deliciosa. Na verdade meu corpo clamava pelo dela, minha boca implorava pela sua, eram duas partes que se completavam o positivo e o negativo em quem era o quê, era o que menos importava por que assumíamos o papel que coubesse no momento em que nos amávamos e estávamos juntos.

– Eu te amo tanto. - sussurrei ainda com meus lábios colados aos seus e de olhos fechados. 

Na verdade eu me recusava a abrir meus olhos ainda mas, quando sua mão entrou por debaixo da minha blusa de frio já que não estava usando nada além dela e suas mãos acariciavam minhas costas e meu abdômen, sentia suas unhas me arranhando não para machucar mais o suficiente para me dar prazer e me fazer gemer contra seus lábios.

Por diversas vezes me perguntei se eu e a Nessie sofremos de distúrbios afinal não podemos nos tocar, não podemos chegar perto que pronto a vontade de arrancar a roupa um do outro e fazer amor é enorme e sinceramente acho que seria sempre a assim, a vida toda por que simplesmente amávamos fazer amor já que é quando nos tornamos mais completos e perfeitos juntos. 

Fazer amor é a extensão do nosso amor!

Nessie mordeu meu lábio inferior de maneira sensual, me fazendo arfar, ela me levava à loucura, na verdade nosso amor me levava ao patamar da loucura e do desejo e era incrível como somente ela podia despertar isso em mim.

– Você é tão gostoso. - ela gemeu contra meus lábios e eu sorri ao saber que depois de tanto tempo ela ainda me considera gostoso, lembro de quando éramos adolescentes e ela me dizia isso e eu ria e falava que não era chocolate para ser considerado gostoso.

– Você também é gostosa demais, me leva a loucura. - a peguei no colo e levei até o carro colocando-a sentada no capô.

Abri suas pernas sem a menor delicadeza mais sabia que ela gostava quando eu fazia assim, me coloquei entre elas e de maneira até um pouco violenta a puxei para mim.

Nessie e eu tínhamos várias maneiras de nos amar e todas eram sempre com amor, na verdade compartilhávamos fantasias juntos e isso é que tornava tudo especial. Ela não teria vergonha de dizer que queria fazer amor comigo na piscina ou no banheiro da boate mais eu sabia que seria apenas comigo e com mais ninguém assim como eu jamais me sentiria à-vontade de fazer isso com outra pessoa.

Um dia eu não resisti e perguntei a Nessie como era fazer amor com o David e quando ela disse que por muitas vezes teve que pensar que era eu no lugar dele eu sinceramente fui ao céu e voltei e quando ela me disse que tinha que engolir o meu nome algumas outras vezes por que não poderia o pronunciar eu a abracei fortemente dizendo que eu não conseguia fazer a mesma coisa e que um dia levei um tapa na cara bem na hora do prazer por ter chamado a garota da Ness, minha Ness para ser mais especifico. E claro ela riu se divertiu em saber disso era como não sentir que por um momento não pertencia a ela. 

Desci meus lábios por seu pescoço enquanto minhas mãos tateavam sua coxa e Nessie tombava a cabeça para o lado oposto em um ato totalmente convidativo ao deleite.

– Humm... - foi o som que ela emitiu quando minha língua traçou um percurso até sua clavícula. - Será que namorar assim é coisa de uma mãe de família? - havia alegria em sua voz.

– E um pai de família pode atacar sua esposa assim? - tomei seus lábios novamente só que agora de maneira feroz segurando seu rosto entre minhas mãos.

Nossas línguas agora duelavam, buscavam seu território demarcado anteriormente e emitiam ondas de desejo que se fundiam ao nosso amor de maneira única e especial.

Ao fim do Beijo encostamos nossas testas e sorrimos enquanto, um vento gelado passava por nós e os primeiros raios do sol tocavam nossa pele nos acariciando.

– Ness você é minha. - a abracei forte eu sabia o gosto de não a ter e sabia o quanto isso havia me custado, alias isso era algo que fazia questão de não me esquecer... Saber o quanto o gosto era amargo e doloroso me fazia desejar jamais provar daquele sabor novamente. 

– Sim Jake e você é meu... Você é o homem que eu escolhi lembra? O que demarcou seu território. - ela se apertou ainda mais contra mim.

Não havia o que ser dito, apenas o que sentir essa era a realidade de duas pessoas que sempre se amaram e que decidiram que ficariam juntos e que precisaram lutar e provar a verdade do que sentiam um pelo outro.

Pensei em como nossos filhos irão ver nossa história de amor no futuro e imaginei claro o que poderia ensinar a eles. 

Ao Daniel ensinaria que um homem ama apenas uma mulher e que a ela se dedica mesmo quando não se tem seu amor por um momento ou por qualquer motivo que seja e que cabe a nós corrermos atrás dela, mostrar o quanto ela é especial e que a desejamos mais do que qualquer outra coisa. Ensinaria, que não é vergonhoso chorar pela mulher que se ama e nem dizer que errou e implorar por seu perdão nem que seja quando ela está prestes a se casar, e que jamais será demais dizer que se ama e que ela é tudo que você precisa para viver.

A Sarah que nem nasceu ainda ensinaria que o príncipe está ai fora em algum lugar, mas que ao contrário dos contos de fadas ele provavelmente não virá em um cavalo branco e que talvez ele nem se quer tenha se dado conta de que uma mulher maravilhosa o ama, mas que ele apesar de ter milhares de defeitos e ter cometido vários erros é alguém especial e que ela pode dizer que o ama que ele por mais assustado que se sinta a principio não irá agüentar por muito tempo ficar longe dela e que quando ele ver ou perceber que outro pode ocupar o lugar que deveria ser seu, ele se dará conta que precisa fazer algo e então ela terá tudo pra fazer com que ele se sujeite a ela e com sabedoria e amor ela saberá que não significa que ela deva humilhá-lo por isso, muito pelo contrário, ela saberá que deverá o amar ainda mais por ele ter sido temporariamente cego diante de tanto amor.

E mais que isso ensinarei a eles que a infância se perde com o tempo e a inocência é substituída pela malicia da adolescência e depois pela pouca sabedoria da juventude... Ensinarei que na verdade tudo irá passar, mas o verdadeiro amor não, esse nunca, jamais, irá passar ele vai se transformar em algo ainda maior e mais sólido e fará parte da vida deles pra sempre... E jamais irei duvidar quando eles ainda novos me disserem que amam alguém mais do que qualquer coisa mesmo que seja o coleguinha de infância ou, o cara ou, a garota da escola e jamais os impedirei de viver esse amor, meu maior exemplo são os pais da Nessie que sempre entenderam o quanto éramos apaixonados um pelo outro.

Mostrarei que ser rei e rainha de um baile é incrível, que se entregar ao amor é maravilhoso e que nada se comparar a primeira vez em que se faz amor com quem se ama mais que também vale à pena brigar de vez em quando para se fazer as pazes na cama, que vale a pena ser romântico às vezes mas uma certa dose de selvageria também é bem vinda.

E mais do que qualquer coisa, assim como eu aprendi ensinarei a eles que antes que tudo realmente termine, é possível fazer alguma coisa, que não à causa perdida quando se acredita nela e a prova disso tudo eles teriam dentro de casa.

– Em que você está pensando. - Nessie se afastou e ficou me fitando.

– Em tudo que vou ensinar aos nossos filhos, em como é maravilhoso amar alguém como a mãe deles que é a mulher mais especial que existe na face de toda a terra, e o quanto eu a amo mais do que a mim mesmo. Obrigado Nessie por tudo, por todas as coisas que você faz e fez por mim por ter sido a rainha não de um baile mais da minha vida e por me fazer sentir tanto amor vindo de você. - percebi que ela estava emocionada assim como eu.

– Jake... Obrigado a você por tudo por me dar dois filhos lindos. - ela tocou seu ventre gentilmente. - Obrigado por tanto amor e você é o rei da minha vida, sempre foi e sempre será e jamais irei me arrepender te ter escolhido o único homem que seria capaz de me fazer feliz.

Destino? 

Não acredito nisso... 

Querer, buscar, conquistar e desejar as coisas de todo coração e trabalhar por elas é no que realmente acredito. Se fosse deixar me levar pelo destino não teria a Nessie aqui comigo e disso eu tinha certeza.

Destino é aquilo que se deseja de todo coração e não importa o preço que se tenha que pagar... É construir sua vida sabendo que no final você fez tudo que era preciso para simplesmente ter o direito de beijar e amar a mulher da sua vida para todo o sempre...


Fim!!!

1 comentários:

Unknown disse...

Oi Glaucia!!!
Só de imaginar que você esta querendo cancelar o blog fiquei triste. Por mais que as atualizações demoram um pouco, mas para quem te acompanha sabe que o seu tempo é corrido. Adoro suas dicas de livros e resenhas que faz por que pela suas indicações de livro ja compei e adorei o livro que foi indicado. Mas sei que você esta muito atarefada, mas pense direitinho por mais que demore as atualizações mas sabemos que é recompensador depois de atualizado.
E como vou ler suas fics quando estiver com saudades de suas estoris...rsrsrsr
Mas compreenderei pela sua decisão mas não nós abandone...
Bjus no care!!!!
Jana Godoy

Postar um comentário