quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Pena de anjo6


CAPÍTULO 6
By ValentinaLB


O percurso que o taxi fez foi curto. Falei bem mais que Bella. Contei que Ethan era meu único sobrinho, que era filho do meu irmão mais velho e que estava fazendo dois aninhos.
Bella estava toda tímida quando entramos no apartamento, mas ao ver a decoração da festa seus olhos brilharam.
A sala tinha sido transformada em um picadeiro de circo. Balões de todas as cores enfeitavam o teto e as colunas da imponente sala. Palhaços brincavam com as crianças e um enorme bolo de três andares se sobressaía no centro de uma mesa repleta de doces.

A festa estava linda!
Assim que Ethan me viu, correu para me abraçar. Dei um abraço gostoso naquele gorduchinho e fiquei surpreso quando ele esticou os bracinhos e se jogou para o lado de Bella, dando-lhe um enorme sorriso.
Ela o tirou dos meus braços e ele se acomodou em seu colo como se a conhecesse há muito tempo.
Fiquei espantado ao ver que ela não demonstrou o menor problema em ser tocada por meu sobrinho. Estava claro que sua aversão a toque se restringia a adultos e provavelmente apenas aos do sexo masculino.
Bella lhe devolveu o sorriso e acariciou seu rostinho já vermelho de tanto correr e brincar. Os dois se entenderam em poucos segundos.
- Oi! Parabéns pra você. Quantos aninhos está fazendo? – Perguntou, com uma ternura na voz que contrastava com a dor que carregava em seu peito.
Ethan levantou a mãozinha e formou um V com dois dedinhos minúsculos, sentindo-se orgulhoso por saber demonstrar sua avançada idade.
- Dois aninhos?? – Bella fingiu estar admirada. – Já é um mocinho então?
Emmet se aproximou de nós, interrompendo a conversa graciosa entre Bella e Ethan. Mostrava-se curioso pelo fato de eu ter levado uma garota comigo. Um desagradável sorriso malicioso estampava seu rosto.
- Esse é meu filho mesmo! Sabe reconhecer os prazeres do colo de uma moça bonita – brincou, ao ver a carinha alegre do aniversariante.
- Bella, esse é Emmet, meu irmão mais velho, pai de Ethan.
- Emmet, essa é Bella, uma amiga minha – apresentei-os.
- Prazer em conhecê-la, Bella. Fique a vontade e divirta-se. Espero que não tenha coulrofobia, pois o que mais tem aqui hoje é palhaço - falou às gargalhadas.
- Oi Emmet! Tenho muitas fobias, mas esta não é uma delas. – Bella respondeu rindo.
Emmet nem imaginava que nós, homens, era de quem ela mais tinha medo, e com razão.
Apresentei o resto da família para Bella. Ela se manteve distante fisicamente dos cumprimentos, mas sempre trazendo um sorriso encantador no rosto.
Era impossível não notar a expressão de curiosidade dos meus parentes. Eu não costumava levar acompanhantes em festas familiares. Fingi não perceber. Não queria ficar dando explicações naquela hora.
Bella se divertiu como se fosse uma criança. Ethan não desgrudou mais dela. Fiquei sentado em uma poltrona no canto da sala, observando-a.
Seu sorriso era doce, quase infantil. Às vezes parecia tímida, outras, desinibida. Seu comportamento me surpreendia. Olhando-a entre as crianças, ninguém suspeitaria que tinha tentado se matar a algumas horas. Ela parecia... feliz?
Eu não tinha a menor idéia do que se passava na cabeça de Bella. Levaria muito tempo para até que eu desvendasse seus mistérios. O que eu não sabia naquele momento é que antes de entrar em sua cabeça, ela entraria no meu coração...
Corremos e rolamos no chão com as crianças a tarde inteira, sempre cuidando para não tocar em Bella.
Alice e ela se deram super bem. Comeram tantos doces que não sei como não passaram mal.
Quando a última criança atravessou a porta de saída, caímos sentados no sofá, exaustos. A sala parecia um campo de batalha. Brigadeiros e beijinhos agonizavam no chão, completamente esmagados.  
Rose olhava desconsolada para o que até pouco tempo atrás chamava de lar.
Ethan estava praticamente desmaiado de cansaço nos braços de Bella. Emmet pegou o filho de seu colo e o levou para o quarto. Ele nem se mexeu.
Enquanto todos se empenhavam em colocar um pouco de ordem naquele apartamento, meu pai me chamou para ir com ele até a sacada.
- Edward, pelo amor de Deus, me diga que essa menina não é quem eu estou pensando. O apelido e os disfarces nos pulsos me levaram a crer que se trata de Isabella, a garota estuprada que você salvou. O que faz ao lado dela? – Uma ruga no meio da testa mostrava a preocupação do meu pai.
- É ela mesma, pai. O destino mais uma vez a colocou no meu caminho. Hoje eu a salvei de se matar novamente. Ela ia pular do quadragésimo andar de um prédio.
Contei para ele tudo o que tinha acontecido.
- Meu Deus!! – Seus olhos estavam arregalados.
- Eu fico me perguntando qual a nossa ligação, pai? Por que eu? – Queria muito que ele tivesse uma resposta para mim, como na maioria das vezes em que pedi seus conselhos, mas desta vez ele estava tão assustado quanto eu.
- Filho, não sei quais os planos de Deus para você e esta menina, mas com certeza, depois de hoje, vejo que ele tem um. Preocupa-me vê-lo se envolvendo emocionalmente com ela. Percebi a forma como a olha. Precisa saber que tem poucas chances de mantê-la viva. Ela é uma suicida em potencial. Fico orgulhoso de lembrar tudo o que já fez por ela e tudo o que ainda pretende fazer, mas, por favor, não se apaixone por Bella, Edward. Não quero te ver sofrer quando ela se for.
- Pai, não estou apaixonado por ela. Só estou... hã... encantado com seu jeitinho. E tem outra coisa, ela não vai se matar! Eu não vou deixar – falei, seguro de minhas palavras.
- Como se não fosse a mesma coisa, Edward – falou, batendo levemente em meu ombro. - Rogo a Deus que ele te ajude a conseguir devolver a vontade de viver a essa menina. Ela me parece ser um encanto de pessoa. Só não queria que uma responsabilidade tão grande dessas estivesse sobre seus ombros, filho.
Meu pai me abraçou forte, temendo por meu futuro, caso eu não conseguisse ajudar Bella. Ele não era o único que tinha medo.
Ele saiu e fiquei ali na sacada, sozinho, pensando em tudo o que estava acontecendo na minha vida.
- Está triste? – Sua voz era agradável de ouvir.
- Não, Bella, estava apenas pensando. E você, se divertiu? – Perguntei sorrindo.
Ela se aproximou de mim, encostando-se na grade da sacada. Meu coração disparou. Emmet morava no décimo segundo andar. Apesar da tela de proteção, não me senti à vontade com ela ali. Pelo visto eu já estava ficando paranóico.
- Muito! Fazia tempo que não vinha a uma festa de criança. Não me lembrava que eram tão animadas e divertidas.
- Você não tem sobrinhos ou irmãos mais novos? – Era hora de começar a conhecê-la melhor.
- Não, sou filha única – falou, parecendo descontente com o fato. - Deve se legal ter irmãos.
Contei para ela a história de meus pais; das adoções ao meu nascimento.
- Nossa!! É uma linda história, Edward.
Conversamos mais um pouco sobre a festa, rindo ao nos lembrarmos de Emmet tentando colocar ordem nas crianças.
Nos despedimos de todos e fomos embora. Adoraram Bella, não tanto quanto eu, que estava completamente fascinado por aquela garota.
Ficamos parados na porta do prédio. Teríamos de nos separar e eu sequer sabia se nos veríamos de novo.
 - Sua família é encantadora. – Bella falou.
- Eles são maravilhosos mesmo. Eu os amo muito.
- Ethan é a coisa mais fofa que já conheci. – Seus olhos brilharam quando falou dele.
- Você tem muito jeito com crianças, Bella. Já pensou em ter filhos?
Percebi que a pergunta a deixou ansiosa e inquieta. Mais uma que ela não respondeu.
- Edward, obrigada pela tarde maravilhosa, mas preciso ir, meus pais devem estar preocupados.
Estranho aquela preocupação para alguém que tinha planejado nem voltar.
- Obrigado você, Bella, por ser uma companhia tão agradável. – Eu estava sendo sincero, a tarde tinha sido perfeita ao lado dela.
Queria lhe dar um abraço, mas sabia que ela não permitiria.
- Pode me dar seu telefone? Gostaria de te ver de novo.
- Não poderemos nos ver mais, Edward. Amanhã não estarei mais aqui.
 Senti minhas pernas perderem as forças e ouvi um zumbido forte em minha cabeça. Foi ficando tudo escuro e não senti mais nada. Eu tinha chegado ao meu limite.

2 comentários:

guidinhapattz disse...

eu amo esta fanfic e estou em pulgas para saber o que vai acontecer!!!
bjs
guidinharp

sueane simas disse...

eu tambem amo e estou curiosa o que vai acontecer.........

Postar um comentário