sábado, 25 de fevereiro de 2012

Medo de amar 2


Medo de amar 2

Nessie não conseguiu sair da cama. Passou a noite inteira sem dormir, ainda sentindo ardência entre as penas, o corpo e o rosto dolorido pelos toques brutais daquele homem. Sabia que não podia contar a ninguém. Nem mesmo a sua preceptora, Srta Chandeler, mas sabia que logo ela viria. Mesmo após a morte do pai, certamente, não a deixaria sem as suas lições. Aquilo era a ultima coisa que queria aquela manhã. Certamente notaria a camisola rasgada e o estado que a menina fora deixada sobre a cama. Sendo assim, Nessie se levantou, com muito esforço após muito pestanejar, e foi fazer a sua toalete. Precisava se limpar, pelo menos tentar tirar o cheiro do homem maldito que maculara o seu corpo, se é que isso algum dia seria possível. Ele a marcou de forma que nunca, mas poderia se esquecer. Destruiu o que tinha de mais precioso e ainda se achava no direito de usá-la como bem entendia. Era humilhante de mais.

Mesmo sem a menor vontade, levantou-se da cama, caminhou lentamente até o toalete para se por ao menos apresentável. Depois de alguns minutos, voltou até a sua cama e se deitou. Ficou ali em chorando, enquanto sentia o peso da perda, dor e humilhação. Não sabia como seria a sua vida, mas tinha a certeza que o novo marquês não faria nada para que fosse agradável. Pela forma como ele a tratou, sabia que a odiava. Tinha a certeza disso. “Mas o que poderia fazer diante de uma situação como aquela?”. Uma mulher, na sociedade em que vivia, não tinha direto a nada. Tudo o que possuía era do seu pai, irmão, tutor ou marido. Era assim e pronto. Uma vez sem o pai, tudo o que era seu seria do tutor até se casar. Depois o marido teria autoridade para fazer o que bem entendesse. Naquele momento teve a certeza de que não se casaria. Não se colocaria a disposição de um homem, para que fosse dono inclusive do seu corpo. Nunca! Jamais.

A porta se abriu e a Srta Chandeler entrou acompanhada de uma das serviçais. Nessie virou o rosto. Não queria encarar a mulher. Não sabia mentir e tinha certeza que se a olhasse acabaria revelando a violência que aquele homem cometeu.

- Srta Renesmee, sei que o momento é de pesar. Seu pai morreu há seis dias e ontem teve que passar pelo estresse da leitura do testamento. Mesmo assim eu insisto para que saia dessa cama. Tem deveres para fazer e coisas novas para estudar. A Srta é filha de um marquês e certamente se casará com um Lord. Por isso precisa ser uma mulher inteligente, dotada de capacidade para conversar sobre uma variedade de assuntos e polida, deve conhecer a arte do flerte, bem como realizar o papel de senhora de uma casa. Há muitas lições a aprender, Nessie. Acho que ficar na cama chorando não a ajudará em nada. – Ela fez o discurso, enquanto a serviçal colocou a bandeja com o desjejum sobre a mesa.  Nessie não respondeu nada. Queria muito desabafar e contar o seu desalento. Não podia. Sabia disso. O marquês arruinaria a sua vida se contasse algo.

- Não sinto vontade de fazer nada, Srta Chandeler. Ficarei na cama até me sentir melhor. Por hora peço que me deixe só.- Dito isso, virou de lado e abraçou  seu travesseiro.

- Tudo bem! – Após ouvir a preceptora anuindo, pediu que a serviçal a ajudasse.

- Senhorita, preciso de sua ajuda. – Disse virando-se para a moça.

- Ao seu dispor, Srta Wood. – A moça disse de forma cálida.

- Estarei na biblioteca se precisar de mim, Renesmee. – A preceptora caminhou para a porta e saiu.

- Preciso que troque essas roupas de cama. – Disse para a jovem e caminhou até a mesa enquanto a serviçal se dirigia para a cama.

Aquele dia a vida de Nessie mudou para sempre. Ela sabia que estava irremediavelmente arruinada. Nenhum homem, mesmo sem um título de nobreza, a desposaria. Ela estaria a mercê do monstro que terminara de arruinar todos os seus sonhos. As lágrimas ainda rolavam pelo seu rosto. O coração estava completamente despedaçado. Tinha certeza que nunca mais se recuperaria daquele terrível acontecimento.

[...]

Deitada em sua cama, Nessie via as sombras das chamas dos castiçais bruxuleando  nas paredes do seu quarto. Havia passado horas deitada desde o ocorrido. A perda do pai ainda doía muito. A incerteza do futuro a abalava tremendamente. Não era fácil suportar tanto sofrimento. Seu peito doía tanto. Talvez até mais do o momento da fatídica violência que sofrera. Não conseguiu dormir. Alimentar-se também foi algo que não fizera com regularidade, mesmo com a insistência de sua aia. Nessie não suportava mais.

Ouviu o ranger da porta se abrindo. O coração acelerou de súbito. Não sabia se era sua aia ou se o monstro que roubara a sua inocência. Fechou os olhos fingiu dormir, entretanto o barulho dos passos fez seu coração acelerar ainda mais e seu corpo inteiro se arrepiar.

Medo!

Isso descrevia o que Nessie sentia. Sabia que não era sua aia e muito menos a preceptora. O barulho dos passos das damas não eram nada como aquilo. Aquele era o barulho de botas. Botas de um homem. Ela se encolheu.

- Não finja dormir, minha querida, tem que me entreter essa noite. – A voz rouca e maquiavélica do homem soou dentro do quarto. Nessie abraçou o travesseiro e não conseguiu falar nada. Via-se acuada como um gato encurralado. “Mas o que podia fazer? Como podia se defender daquele homem?”

- Por... – Engoliu seco. As palavras mal soavam e seus lábios. – Estou machucada...

Lágrimas! Elas rolavam pelo seu rosto. Tremia muito assustada. Fechou ainda mais os olhos quando sentiu o homem a puxar com violência. Ele abriu as suas pernas com violência, arrancou as pantalones, praticamente rasgando, e com a mesma brutalidade anterior, arremeteu-se dentro dela como um animal, entrando e saindo sem a menor compaixão pela menina que chorava.

Nessie fechou os olhos, após sentir as mãos do agressor tapando a sua boca para que não gritasse e chorou com a dor que cada investida provocava em seu corpo.

Esperar.

Era tudo o que podia. Não havia nada a ser feito. Estava completamente imóvel nos braços do seu tutor, sendo violada mais uma vez. Esperar era a única coisa que restava fazer até que tudo finalmente terminasse. Foi o que aconteceu. Ela sentiu quando seu corpo rijo saiu de cima do seu e o homem se pôs sobre a cama. Viu quando ele expeliu um liquido sobre os lençóis, urrando ao despejar todo conteúdo.

Nessie abraçou o travesseiro, fechou os olhos e continuou a chorar baixinho. Sabia que ninguém viria ao seu socorro. Era prisioneira daquele homem terrível e ele era o senhor da casa. Nenhum dos lacaios desafiaria a sua autoridade. Sabia disso. Por mais desesperador que aquilo fosse.

- Esteja pronta para mim amanhã. Tente agir como sua nova condição condiz. É minha amante e terá que aprender a me agradar. – O homem disse com arrogância e saiu da cama. Nessie escutou os passos em direção a porta e depois ouvir o seu ranger.

- Oh Deus! Por que não me ajuda? Por que permite que esse homem faça essas coisas comigo? - Sussurrou desesperada. Sabia que não havia mais saída. Ela se converteria no brinquedo do novo marquês. Edward não era um homem feio. Pelo contrário. Tinha porte de um cavalheiro e uma beleza digna de um príncipe. Mas sua alma era a de um demônio. Se as pessoas soubessem como ele a tratava. A violência com que agia com ela era desumana. E não havia ninguém para protegê-la. Seu pai estava morto e ele era legalmente responsável por ela. Seu dono, como ele mesmo disse.

Momentos depois Nessie ouviu a porta abrir a porta abrir com violência. O barulho de passos de uma mulher caminhando até a cama a alertou. Virou-se para ela e imediatamente pediu ajuda.

- Por favor, ajude-me milady. Estou machucada... – Chorava muito naquele momento. Estava soluçando e pensou que a mulher fosse agir com o mínimo de benevolência. O contrário ocorreu. A mulher a olhou com ódio nos olhos. Parecia insultada, com uma das sobrancelhas arqueadas e o tom arrogante de sua voz disse.

- Como se atreve, sua desavergonhada? Como se atreve a seduzir um marquês? Como filha de um nobre, deveria ter o mínimo de decoro. – Começou a bater o leque sobre a mão enquanto a fitava com a mesma arrogância e altivez. – Mandarei a sua aia arrumar suas coisas. Amanhã cedo partiremos para Londres. Não permitirei essa depravação. Deveria se envergonhar do que fez.

- Ele me machucou... me violou... – Tentou se defender.

- Quieta! – A mulher estava vermelha de fúria. Por um momento achou que ela fosse lhe bater. – Nunca mais se atreva a desferia acusações infundadas sobre o meu filho. Ele não tem culpa de ser uma desfrutável sem o menor pudor. Mas não permitirei que essa situação persista. Virá comigo para Londres e lá ensinarei a se comportar como uma dama. Quem sabe algum dia encontre algum cavalheiro disposto a desposá-la mesmo arruinada. Nada que um bom dote não resolva. Agora se prepare. Partiremos amanhã ao amanhecer.

Nessie apenas assentiu. Estava machucada, magoada e principalmente humilhada. Aquela mulher horrível ousou a colocar sobre si toda a culpa. Seu filho era um monstro e a mulher teve a crueldade de jogar sobre ela o fardo de sua violação. Era um absurdo.

[...]

A senhora Cordélia Wood estava ultrajada. Assim que chegou a mansão herdada por seu filho, em Colchester, ouviu as blasfêmias que os empregados diziam sobre ele. Segundo os sussurros, os Lord Wood estava violando Renesmee Wood. Fato que segundo disseram, acontecera inclusive aquela noite. Ficou indignada com as fofocas que ouviu quando foi fiscalizar a cozinha. Nenhum deles sabia de sua presença e muito menos quem era. Assim falavam abertamente que o novo Lord machucou a jovem, pouco depois do velório do tio. Ela não aceitara aquilo. Simplesmente era inconcebível aceitar tal fato. Precisava se certificar por si própria da verdade.

Caminhou com passos pesados pela imensa galeria que levava até o andar onde os membros da família residiam atrás da aia de Renesmee Wood. Depois ordenou que a moça voltasse aos seus afazeres. Abriu a porta com violência e a cena que viu a chocou.

Não podia acreditar. Aquela garota havia seduzido o seu pobre filho. Ele em sã consciência nunca faria tal temeridade contra aquela jovem. Mas a prova estava ali. Por mais que Sra Wood insistisse em não aceitar e tentasse desculpar os erros do seu filho, estava ali a sua frente. A garota nua, encolhida,  com marcas recheadas pelos braços e pescoço chorando muito.

Para ela era mais fácil jogar a culpa sobre a jovem. Era a única coisa que podia fazer em defesa do seu filho. Não permitiria que aquela jovem enlameasse o nome do novo marquês, por mais que ressentisse com o fato de nunca ser a marquesa,visto que o titulo só seria seu se fosse a viúva mãe do herdeiro. Coisa que nunca aconteceu e nunca aconteceria.

Depois de despejar toda a raiva que sentia sobre a moça, resolveu ir procurar o filho e o “informar” sua decisão diante de situação desastrosa. Não poderia permitir que ele colocasse tudo a perder. Se o fato saísse daquela casa, por um dos criados, ele estaria arruinado. Nenhuma família decente os receberia e ele perderia a chance de um bom casamento. Ninguém veria com bons olhos a violação da filha de um marquês. Precisava dar um jeito naquilo. Urgentemente.

Ao chegar à suntuosa biblioteca, a mulher o encarou de forma fria.

- Não sabia que havia chegado, mamãe. – Edward disse bebendo uma taça de conhaque.

- Vim para me certificar que a casa do novo marquês estava sendo bem conduzida. Entretanto o que descobri me abalou muito. Serei bem direta, Edward, não permitirei que essa situação perdure. Levarei a Srta Wood comigo para Londres amanhã bem cedo.

- Está sendo descortês mamãe. Onde andam os seus bons modos. Não fez uma mesura e dirige-se a mim como se eu fosse um menino. Agora sou um homem. Sou o marquês e o senhor dessa casa. Não tem direito algum de ditar ordens. – Ele bebeu um gole de sua bebida despreocupadamente. Não sabia até que ponto sua mãe estava ciente das coisas e não se entregaria facilmente. Ela continuava com o mesmo tom altivo observando o filho com a sobrancelha arqueada.

- Sei bem que foi “Seduzido” pela sua pupila. Essa situação não continuará, Edward.  – Disse com tom estridente. – Não permitirei que você arruíne tudo por causa de um capricho. Ela irá para Londres comigo e você não se aproximará. Se dermos sorte, algum dia, conseguiremos um bom casamento para ela. Caso os boatos se espalhem, você não será recebido por nenhuma família nobre e não conseguirá uma herdeira. Está me entendendo agora? Como acha que a sociedade veria a sua proximidade com sua pupila? Não me trate como uma pessoa desprovida de inteligência. Sou sua mãe! – Disse exasperada.

- Não há como negá-lo, há? - Perguntou com humor sardônico.

- Não use esse tom irônico comigo! Renesmee irá comigo e lá cuidarei para que não seduza mais nenhum “nobre decente”. – Disse de forma condescendente. Ele sabia que a mãe sempre encontrava forma para desculpar todos os seus erros. Todas as pessoas estavam erradas. O falecido pai, os empregados, os tutores, os professos de Etan e até mesmo os de Oxford. Ela sempre agiu colocando a culpa no mundo por seus erros. Ele sabia que agora encontraria uma forma de culpar Renesmee pelo que havia feito.

- Correto! Tem minha autorização para levar minha pupila. – Disse fazendo uma careta. Pretendia desfrutar dos favores de Renesmee e com a interferência da sua mãe não seria mais possível. Não havia o que fazer. Ela não se daria por vencida. Ele tinha que ceder.
Nota Glau

Gils, não me matem! Prometo que as coisas vão melhorar. Nessie não ficará mais sob o teto de Edward, mas será tratada como uma empregada. Já viram que a mãe dele não presta? Pois é... Se me lembro bem do que escrevi, Jacob aparece no cap 4 para resgatar nossa Nessie. Então fiquem calmas. Eu sei o que estou fazendo
Obrigada mesmo pelos comentários!

Estão com saudade da HERI? Já mandei os caps para ela e daqui a pouco estará aqui conosco fazendo a betagem.]

Mais uma vez obrigada pelo carinho de vcs. Agradeço a confiança que depositam em mim. Não é a primeira vez que escrevo algo louco e não será a última, se acreditarem é claro!

Bjus no core

11 comentários:

Unknown disse...

PELO MENOS A NESSIE JA SAIU SA CASA...KKKK
A HISTORIA E BOA SIM .....PARABENS!!!!

GLAUCIA BLACKS FANFICS disse...

Ela saiu das garras do Marquês, mas vai aturar a megera da mãe dele. Logo logo as coisas vão melhorar e ela conhecerá o amor da sua vida.
Obrigada por comentar.
bjs no core

Daniela ♥ disse...

AHH EU QUERO MAIS!!
Minha querida tadinha da nessie =(
Como é que alguém pode ser assim???
Estragar a vida de uma jovem por caprichos??
Minha nossa senhora....
E depois aquela mae do Edward???
Aquilo pode-se chamar de mae de alguém??
Bem, ansiosa demais para saber os restantes acontecimentos...
~Mas por um lado acho bem que essa "senhora" leve a nessie para longe dali, pois pelo menos deixa de ser violada....ou pelo menos acho....quando ela chegar ao destino o que vai acontecer?? Ela será tratada como empregada isso ´vosse ja disse...mas simples empregada ou vai sofrer mais =(
Ai Glaucia....estou ansiosa demais para saber mais......
Vou ficar a roer as unhas com tanta ansiedade xD

bjs,
Daniela Cristóvão

ϟ Faa Mariia Anntunes disse...

uhul, mas um cap, maaaas qeu triste :/, nao vejo a hora de ver o gato do jacob!

Michelle Black's disse...

Ainda estou chocada...:{ G-zuis que gente louca..mais estou gostando, não existe uma boa história sem drama, mesmo que seja tão pesado quanto essa...só tenho a dizer: Jake vem logo salva-la rsrsrs da Glaucia!

Káká disse...

estou chocadaaaaa
bem, quero apenas que o Jake apareça para salvar a Nessie....
maisss
a historia ta perfeita, apesar de muuito triste...
bjss

Aricia A. Black disse...

Nossa1 q mãe é essa? todos são culpados menos seu filhinho....

Ness vai virar a gata borralheira *comparação besta* até o principe encantado aparecer!
kkkkkkkk
Bjos

Paty disse...

Nossa agora esta explicado pq Edward e este crapula com uma mãe desta que sempre passa a mão na cabeça do filho por mas errado que este esteja ela sempre coloca a culpa nos outros e não assume que quem não presta e o proprio filho pelomenos ela vai levar Nessie para longe dele mas tenho cá comigo que ela pastara na mão desta mãe louca ok

Deia disse...

Ainda de boca aberta aqui!
Não sei que vai ser pior nessa história se será o Edward que estragou com a vida da Nessie, ou se será a mãe dele que a fara de empregada.
Essa história promete, alias como tudo que você já escreveu, essa fic vai ser linda.
Mas tenho cá, que o Edward não vai deixar ela sair assim, é muito estranho ele simplesmnete concordar e não a importunar mais, sinto que ele ainda vai aprontar.
Estou amando a fic, epero que o proximo capitulo não demore.Bjos

hilsiane disse...

Nossa coitadinha da nessie além do monstro tem que aguenta a bruxa mais pelo menos a bruxa vai tira ela das garras do edward por enquanto ja que ele não vai abri mão dela facilmente assim e deixa ela casar e perde o dinheiro dela,mais por enquanto ela vai deixa de ser violetada por ela,e finalmente conhecer o meu jake e ser finalmente feliz.mais o jake vai ter muito amor e paciencia para ela dos seus traumas mais com amo tudo da certo no final. Ps;glaucia mais uma vez parabéns pela fic tenho certeza que vai ser o maximo como todas as tuas fic jake e nessie que eu amo muito .bj anne

hilsiane disse...

Nossa coitadinha da nessie além do monstro tem que aguenta a bruxa mais pelo menos a bruxa vai tira ela das garras do edward por enquanto ja que ele não vai abri mão dela facilmente assim e deixa ela casar e perde o dinheiro dela,mais por enquanto ela vai deixa de ser violetada por ela,e finalmente conhecer o meu jake e ser finalmente feliz.mais o jake vai ter muito amor e paciencia para ela dos seus traumas mais com amo tudo da certo no final. Ps;glaucia mais uma vez parabéns pela fic tenho certeza que vai ser o maximo como todas as tuas fic jake e nessie que eu amo muito .bj anne

Postar um comentário