quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Medo de amar 3


Medo de amar 3

Londres, 4 abril de 1816

- Mamãe, por que Nessie não pode ir conosco ao baile da Lady Levestop¿ - Annabel, a mais amável das primas perguntou enquanto Nessie terminava de arrumar os seus cabelos.

- Já disse que não é a vontade do seu irmão. Não devo discutir isso com você. -  Nessie sentiu a opressão em seu peito. Já tinha quase vinte um anos. Na verdade faltava somente três meses para completar a maioridade e nunca teve uma temporada. Agora que suas primas Catarine e Annabel completavam dezessete e dezoito anos, e teriam sua temporada, achou que também lhe seria permitido participar dos bailes nos salões dos casarões mais luxuosos de Londres. Era a filha de um marquês, tinha um belo dote, apesar de não saber exatamente quanto, e era bela. Apesar de não ter esperanças de fazer um belo matrimônio, não depois de ter sido completamente arruinada pelo tutor. Nem mesmo queria. A idéia de um homem a possuindo novamente causava-lhe náuseas e pânico. Mesmo assim gostaria ao menos da oportunidade de sair de casa. Mas ser impedida era outra coisa¿ Ali estava claro que a tratavam apenas como uma mera criada. Era isso que ela era para os Wood’s, que outrora lambiam o seu chão.

Nessie passou os seis anos dentro da casa, usando as roupas usadas e velhas das primas, isso quando lhe davam; em um quarto simplório no soton e sem o mínimo de conforto. É claro que para manter as aparências ela fazia as refeições à mesa com a tia e as primas. De resto, era tratada como uma criada. Ajudava as primas a se vestirem, cuidavam dos seus vestidos e sapatos, mantinha o quarto sempre organizado a medida do possível, ajudava a vestir as roupas e a tirá-las quando voltavam. Em resumo, era a aia das primas. Aquilo chegava a ser ironia. Agora que teriam a sua temporada, estava largada de lado, esperando pela boa vontade para ter sua própria vida.

Três meses... Três meses...

Nessie pensou enquanto ouvia a negativa da tia. Fingiu não se importar com o comentário e ouvir Catarina reclamar. – Se continuar com essa moleza, não chegaremos cedo ao baile. Será que é tão imprestável que nem arrumar cabelos faz direito. Ande logo com isso e venha arrumar os meus.  

- Terminei, Bel. Você está muito bonita. – Ela disse sorrindo enquanto olhava para a prima. A moça possuía beleza singela, mas não era nenhuma beldade ao contrário da irmã. Possuía os cabelos negros, a pele muito branca e os olhos verdes. Não era atraente como a outra prima, afinal Catarina poderia ser considerada uma beldade apesar da futilidade. Era realmente linda e a esperança da mãe para um bom casamento. O coração, entretanto, era pura maldade. Uma víbora maliciosa. Já Annabel era boa, apesar de não fazer nada por ela quando a irmã e mãe davam seus ataques.
                                                                                                     
- Anda logo, Renesmee! – Ordenou a outra prima. Nessie fez uma careta e se dirigiu até a poltrona onde estava sentada. Começou a trabalhar com má vontade nos cabeços da prima e terminou pouco depois. Não ficou tão belo e caprichado quanto o de Annabel. Não deixaria aquela bruxa com o ar de princesa. Estava ali fazendo o papel de aia obrigada.  Aquela situação duraria apenas três meses. Era por isso que rezava constantemente. Depois disso tomaria o que era seu e iria embora daquela casa.

As primas e a tia estavam arrumadas com belas vestimentas de seda, a tia com um belíssimo e luxuoso vestido vinho que marcava o seu corpo, usava os rubis de sua mãe adornando o colo, o que a deixava ainda mais furiosa. As primas com vestidos claros, próprios para a idade e condição de donzela. Annabel com vestido pêssego e Catarina com vestido verde claro. Ambas possuíam combinação de colares, brincos, pulseiras e anéis de diamantes. Estavam belíssimas e fariam bela figura na sociedade, Nessie sabia. O mais revoltante para ela não era o fato de ser impedida de ter uma temporada, mas o de usarem as jóias que eram suas por direito. As mesmas que foram tomadas no dia em que partiu de Colchester.

“Um dia elas serão minhas.” Ela dizia para si mesma tentando conter o ultraje. Aquilo era um abuso. Os parentes se apossaram dos bens e das jóias. Elas desceram para o grande salão e o que viu a deixou pálida. Sentiu uma tonteira e quase desmaiou.

“O monstro!”

Lorde Colchester estava lá. Exuberante com o fraque negro elegante. Na gravata uma esmeralda suntuosa, luvas braças, os cabelos impecavelmente penteados. Ele era um homem belo, mas a sua beleza era apenas exterior. Só ela sabia o que se escondia por trás daquela face encantadora. Ainda podia se lembrar de cada momento, da dor das suas investidas e do tom maldoso da sua voz rouca.

- Está muito bela, Renesmee. – Ele se adiantou e tomou a mão, colocando os lábios sobre ela. O corpo inteiro de Nessie se arrepiou. Ela sentiu pavor e nojo do toque daquele homem. Sentia-se sufocada e queria fugir dali. Não suportaria mais a sua presença. Fez o possível para se manter longe de seus olhos naqueles seis anos. Todas as vezes que ele visitava a família, ela ficava trancada no quarto fingindo indisposição. Ali, no entanto, foi inevitável.  Puxou a mão de rapidamente, abaixou os olhos e tentou não deixar que percebesse o seu medo.

- Boa noite, Lord Colchester!  - Fez uma mesura perfeita, como fora ensinada pela preceptora e depois pediu permissão para se retirar. – Se me derem licença, devo me recolher. Boa festa para vocês.

- “Não! Não! Não fará novamente aquilo comigo”. – Nessie andava de um lado para o outro em seus aposentos. Não suportaria passar por aquele tormento novamente. Precisava fazer algo urgente. Faltava apenas três meses para o seu aniversário. Depois disso estaria livre. Completamente livre. Se ficasse naquela casa correria o risco de ser machucada novamente. Não tinha a intenção de permitir que homem algum possuísse o seu corpo novamente. Não passaria por todo o sofrimento novamente. Durante todos os anos ela acordou chorando durante as noites com o mesmo pesadelo. Aquilo a angustiava.

Depois de muito pensar, Nessie decidiu que deveria fugir para longe. Quando tivesse sua maioridade encontraria um advogado e exigiria os seus direitos. Mas se continuasse ali, certamente estaria perdida. O fato do Lord Colchester não permitir que ela tivesse uma temporada tinha algum significado. Ela era a herdeira e em pouco tempo teria posse dos seus bens. Certamente ele não tinha a intenção de permitir que encontrasse um cavaleiro que a desposasse. Um pensamento estranho passou por sua mente. “E se ele quiser casar comigo?” Oh,Céus! Aquilo exigia uma medida urgente. Se ele tivesse a intenção de desposá-la, para tomar a sua herança, não teria muito que fazer.

Nessie começou a arrumar uma valise com alguns vestidos e roupas íntimas. Não havia muito que levar. Ela nem podia levar as jóias de sua mãe que estavam no cofre da Sra Wood. Mas podia pegar dinheiro. Sim! Precisava de dinheiro. Esqueceria as jóias. Só levaria consigo o brinco e o anel de diamante que usava. A única coisa que sobrou da sua herança.

Foi para o quarto da tia e começou a vasculhar as coisas. Achou alguns guinés, mas não dava para se estabelecer. Saiu do quarto com a valise e passou silenciosamente pelos corredores. Chegou ao primeiro andar e procurou por sinal dos empregados. Não havia nenhum. O mordomo não estava ali, mas ela precisava ir rapidamente para o escritório procurar dinheiro. Entrou no escritório e após vasculhar as gavetas achou uma milha.

Ótimo!

Agora ela só teria que sair pela porta dos fundos, tomando cuidado para não ser vista, pegar uma diligência para outra cidade e se manter escondida por três meses. O plano até parecia perfeito, mas ela sabia que no momento em que se dessem conta do seu desaparecimento iriam procurá-la. Então precisava ser rápida. Ela saiu na escuridão, passou pelo jardim e arbusto sorrateiramente até chegar ao portão da rua.

Mayfer estava silenciosa e pouco iluminada por algumas luminárias. Não havia muito movimento de carruagem àquela hora. Praticamente toda a nobreza que residia na Mayfer estava no bailo no outro lado da cidade. Era uma oportunidade única para sair sozinha à noite. Mesmo assim precisava encontrar um coche de aluguel. Não podia atravessar a cidade para pegar a diligência sozinha.

Nessie correu  pela calçada. Estava com frio. Muito frio. Usava nos ombros apenas um cachecol de lã brando. A lufada de vento a deixou arrepiada. Céus! Ela precisava urgentemente de um abrigo. Estava andando há algum tempo por aquela longa rua e não havia conseguido encontrar um coche de aluguel.

Atravessando a rua correndo, sem olhar para o lado. Quando se deu conta do que acontecia. Uma carruagem partia para cima dela. Nessie não conseguiu reagir. Ficou paralisada de susto. Alguém se arremessou contra ela e a jogou para longe. Sentiu o corpo e a cabeça batendo contra o asfalto e apagou


Medo de Amar2
Medo de Amar4

Nota Glau
E ai, Girls? Quem adivinhar que salvou Nessie do atropelamento ganha um doce! Quem? Quem? Quem? Kkkkk SHUASUASU Ele mesmo! O nosso caramelinho lindo. No próximo cap já o teremos na fic e vocês saberão como ele se apaixonará pela moça desconhecida, desacordada e totalmente frágil.
E Edward? Como ele evitará que o duque se apaixone pela Nessie? Isso só lendo para saber. Eu tenho até o cap 6 pronto e o 7 em andamento. A Heri está super excitada com o que já leu. A estória promete e vocês vão se deliciar com o duque. Isso eu prometo.
Obrigada mais uma vez pelos comentários! Amo todos eles! Os outros caps já estão prontos e betados. A postagem só depende de vcs.
Uma ótima semana!!!
Bjsu no core

N/ Heri: Oi, meninas, apareci enfim... Meu Deus....que capitulo, que historia. To super animada e curiosa, amo essa narrativas... Glaucia não me contou nada do que vem, estou como vcs... na expectativa, sofrendo junto com a Nessie... Então vamos comentar?...bjs

7 comentários:

Paty disse...

Nossa to amando ler cada vez mas muito boa como tds suas fics
Mas oque sera que o crapula do Edward vai aprontar hein , eu sabia que a tia iria fazer ela de escrava e ainda esta usufruindo de suas joias tenhho certeza que estão usando ate sua herança sera que o mostro do Edward vai querer casar com ela para depois ficar viuvo (acidentalmente) e ficar com sua fortuna e oque parece para esconder ela por 6 longos anos ok bjs

Deia disse...

Que lindo o que o Jake fez, se jogar ne frente para salvar a Nessie, to amando essa fic ta muito boa, Glaucia posta logo ficar sabendo que você tem até o capitulo 6 não ajudou em muita coisa a anciedade aumentou pra caramba.
Que nojo do Edward, quem ele pensa que é?
Me desculpe as team Edward, mas eu já não gostava muito dele antes, agora então com essa fic nem se fala.
Tomara que de tudo certo para a Nessie, e que ela não precise voltar para a casa onde era tratada como empregada, e que ele não seja muito dura com Jake.
Beijoa anciosos.

Virginia disse...

ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiii.... nossa muita emoção tadinha da Nessie sofrendo nas mãos as megeras quero o jake logo pra fazer ela feliz... beijuxxxx
super anciosa..

Michelle Black's disse...

To simplesmente amando a fic... Odiando o Edward, e louca para um tal Duque aparecer rsrsrs...
Mais que triste ela perder sua fortuna, virar empregada e ainda por cima ter sido violada...mais fazer o que, nem só de flores é feita a vida! Parabéns Glau...está perfect!

Daniela ♥ disse...

Glaucia passou 6 anos??
A nessie a viver como uma escrava??
Minha nossa senhora!!
Mas que bom que a Nessie finalmente decidiu fugir =D
Ela merece ser feliz e ali nunca será...
Glaucia no proximo capitulo o Jake ja vai aparecer??
=D
Que bom.....
Ai eu estou ansiosa pelo proximo!!!
Querida essa tia e esse Edward têm que ter o final bem merecido!

Mas agora o Jake vai aparecer =D
Só quero ver a reacção dos familiares da Nessie quando descobrirem =D
QUERO MAIS QUERIDA!!
Glaucia voçe é simplesmente perfeita =D
A sua escrita é um ar fresco para mim sempre que voçe publica um novo capitulo!!!

Ansiosa pelo próximo capitulo onde o jake vai aparecer =)

Quero mais!!!

bjs

Káká disse...

adoreiiiii
esse Edward tem que ter um final no mínimo muito ruim... ele já queria abusar da Nessie de novo, tadinha!
Essa tia dela, hein, que cobra! E as primas? A prima boa merece um final feliz, agora a má, merece sofrer...
essa fic tah demaissss
posta maiss
quero ver o cap que o Jake vai aparecer...
bjsss

hilsiane disse...

Omg to amado a fic até que a nessie fugiu ,e para sorte dela encotrou ninguem mais do que meu jake que vai ensina ela a ama e a ser feliz e muda a vida dela de dor para alegria.eu ja disse que amo o jake pois eu amo muito ele.ps:mais uma fic tua que eu amo .bj anne vc e d+

Postar um comentário