sábado, 31 de março de 2012

Medo de Amar8

Medo de Amar 8

Jacob estava inquieto. Seu coração sofria de uma angustia que não sentia há anos. Três dias se passaram desde que Lady Renesmee Wood partiu com os parentes. Ele não tinha bom pressentimento sobre aquilo. Sabia que seria indiscreto da sua parte visitá-la, assim tão cedo. Enviou-lhe um lindo arranjo de flores colhidas no jardim de sua mãe, a duquesa de Telford, mas não teve mais do que uma mera missiva de agradecimento. Sabia que não fora a jovem tão encantadora que conhecera quem respondeu. Nem tinha muita esperança da tia ter entregado as flores.




Ele sentia falta de ver o seu suave sorriso, os brilhantes olhos verdes - que mais pareciam esmeraldas de tão vívidas e brilhantes. Desejava desesperadamente vê-la novamente. Aquilo estava o levando à loucura. Só essa palavra era capaz de descrever tamanho desespero de sua alma desejosa. Depois de muito pestanejar, Jacob saiu de casa com passos largos. Tinha muita pressa de chegar à casa dos Colchester.

Ordenou que o cocheiro lhe preparasse o faetone, uma carruagem pequena, com dois lugares e abertas, para passeios diurnos. Não era homem de usar aquele tipo de transporte. Nem sabia exatamente para que o antigo duque havia comprado. Normalmente usava seu cavalo puro sangue ou a carruagem ducal. Mas agora seria útil. Se tudo ocorresse como planejava, sairia para um passeios ao ar livre com a doce Lady, que ocupava os seus pensamentos.

Algum tempo depois, Jacob parava na porta da mansão dos Colchester, com ar determinado e altivo que a sua posição lhe conferia. Era um duque, temido por toda a sociedade, adorado pelas mulheres e com respaldo das mais ricas e poderosas famílias da Inglaterra, até mesmo o príncipe regente George lhe tinha respeito e fazia parte do seu circulo de amigos. Um “mero” marques, sem prestígio, cheio de dívidas e com reputação duvidosa, não ficaria em seu caminho. Sairia para um passeio com Nessie. Tinha plena convicção quando se apresentou na entrada da mansão. Sabia que era no mínimo falta de educação fazer uma visita sem enviar uma missiva avisando antes. Mas não estava preocupado com isso. Era “ela” quem lhe importava. Quebrar protocolos sociais não era nada para ele.

- Boa tarde! Entregue o cartão para a senhora e avise que estou aguardando para ver Lady Renesmee. – Disse com tom arrogante para o mordomo. Sabia melhor do que ninguém se impor. Fez uma expressão de impaciente, enquanto o homem velho, alto, com os poucos cabelos grisalhos, que lhe restavam em sua cabeça, leu o cartão e fez uma mesura impecável.

- Acompanhe-me, por obséquio, Vossa Excelência. – Disse o homem, apontando o caminho, para Jacob, que não se fez de rogado e com a mesma presunção que se apresentou, caminhou pelo assoalho da mansão como se fosse um príncipe.

Após seguir um longo corredor, o mordomo o pediu que se acomodasse na sala de visita, enquanto saia para avisar a sua senhora sobre a visita. Jacob ficou olhando a linda casa, com quadros de pintores famosos, uma bela tapeçaria, candelabros, castiçais, obras de arte... Tudo era muito rico e de bom gosto. Nada comparado com suas várias casas. Mesmo assim uma decoração admirável. Depois de avaliar por um momento o local, tentando desviar os pensamentos do real objetivo, porque precisava se manter frio, rígido e com ar arrogante. Escutou o barulho de passos e se fingiu de distraído; esperando pelo cumprimento da anfitriã.

- Vossa Graça! – A mulher trajada com um vestido azul celeste, muito bem apanhado, colocou-se diante de si, fez uma mesura muito exagerada, curvando muito o corpo e a cabeça. Era a mesma senhora que havia conhecido há três dias. Mesmo com o enorme sorriso nos lábios e os olhos de raposa brilhando de excitação, pela novidade. Pode perceber a falsidade de uma víbora. Sabia que a mulher era interesseira e se associar ao duque não era de todo um mau negócio.

- Sra Wood! – Pegou a mão gentilmente, como um perfeito cavalheiro, e a beijou de forma comedida.

- O que o trás e minha humilde casa? - Ela perguntou com o sorriso forçado, avaliando suas expressões ele sabia.

- Gostaria de saber como vai a jovem Lady? – Disse ele, tentando não parecer muito interessado. Sabia que não devia ir com muita cede ao pote. – Ela estava bem fraca quando partiu de minha casa. Estimo sinceramente sua melhora e seu estado me preocupa. – Concluiu. E o mordomo entrou carregando uma bandeja, com um jogo de chá de porcelana.

- Tomás um chá comigo, Vossa Graça? - A mulher perguntou.

- Oh, não! Agradeço a gentileza, minha atenciosa senhora. Só estou de passagem. Estava bem diante da mansão, indo a caminho de Hyde Park, quando me lembrei da jovem Lady. Tendo um coração enorme, sem falsa modéstia, resolvi vir averiguar por mim mesmo se o que me enviou na missiva era verdade. – Disse com tom que  deixava claro não acreditar que Nessie estava tão mal quanto dissera.

- OH, Vossa Graça! Perdoe o exagero dessa tia tão preocupada. Resnemee é querida demais para mim, como uma filha, acredite. Assim acabo exagerando em meus cuidados. – Deu uma risadinha falsa. Jacob teve vontade de vomitar com tanto fingimento. Sabia, percebeu no encontro da “família” que a tia, assim como o primo, não tinham bons sentimentos em relação a sua querida Nessie. Um nó ficou preso em sua garganta e fez o impossível para não dizer as verdades que gostaria.

- Sei o quanto “estima e cuida” de sua sobrinha. Ela me contou o tratamento que recebe nessa casa, minha senhora. Não é necessário tentar enfeitar a situação. Pois bem! Gostaria de ver a jovem Lady e mais... – Arqueou uma das sobrancelhas e deu um sorriso arrogante. – Levá-la para um passeio no meu faetone. Sei que fará bem para a sua saúde sair um pouco do quarto. A senhora não gostaria, mesmo¸ de fazer com que perca a viagem, não é senhora? – Cordélia Wood ficou pálida como um defunto. O riso sumiu de seus lábios e Jacob sabia perfeitamente que ela tinha conhecimento do que ele “sabia” e relação a Nessie

- É claro, Excelência... É claro! Nunca passaria por minha cabeça fazer uma desfeita a um homem tão importante como “milord”. Saiba que minha sobrinha é tratada com muita consideração nessa casa. – Levantou-se, fez uma reverência e saiu apressadamente. Jacob sabia que havia ganhado a batalha. Mas a guerra só estava começando. Teria que enfrentar Colchester e com esse usaria outras armas.

[...]

Nessie estava trancada em seu quarto, para falar a verdade não era bem um quarto, mais um improviso num sótão. Três dias trancadas, comendo restos que a sua amiga serviçal Lyan e a prima Annabel traziam escondidas. Sua tia havia ordenado que ficasse a pão e água, até a segunda ordem. Fora isso, ainda tinha a pressão psicológica que sofria todos os dias. Era torturada com palavras duras e visitas de Edward... Aquilo era o pior, apesar da mãe sempre estar junto dele. Queria sumir daquela cada, de uma vez por todas e para todos sempre.

A porta se abriu e Lyan entrou correndo, com um vestido amarelo de musselina de Annabel. - A patroa mandou vestir isso e pentear os seus cabelos. Ela está conversando com as filhas lá no quarto. Parece que está nervosa. O Duque, o seu salvador, está lá embaixo e exige vê-la. A jararaca está soltando veneno. Agora venha e me ajude a te deixar bonita.

- Como? Não estou entendendo. – Nessie disse para ela, que já estava desabotoando os botões do velho vestido que estava usando.

- O duque quer vê-la e a jararaca está morrendo de medo. Está orientando as filhas para se portarem diante ele. Ela quer aproveitar a oportunidade para  empurrar Catarina para ele.

- OH Céus! Jacob... Quer dizer, Vossa Graça e Catarina. Fico enjoada só de pensar nisso. – Respondeu já pondo o vestido de Annabel. – Ele não olhará para ela... Ela não é do tipo de jovem que ele... Bem... – Gaguejou.

- Seja como for, você verá o “seu belo duque” novamente. Vou deixá-la linda. Ele nem olhará para Catarina. – Deu uma risadinha.

- Será que... – Nessie mordeu os lábios, sentindo-se insegura.

- Nada de será! Vamos arrumar esses cabelos e deixar o duque ainda mais encantado.

- Ele não está encantado... – Nessie negou.

- Não? E para que lhe enviou as mais belas flores? Colhidas, segundo o bilhete, no jardim da duquesa mãe. Hum? Vamos lá, menina! Não vê que essa é a sua oportunidade de se livrar desses abutres? Seja encantadora com o duque. – Lyan arrumou os cabelos de Nessie e depois as duas saíram do sótão. Quando estavam descendo, encontraram com Cordélia e suas filhas.

- Escute aqui, sua vagabundazinha,  você dirá ao duque que está muito cansada, doente e que precisa de descanso. Falará  como a tratamos bem. Depois irá sugerir que ele leve Catarina em seu lugar para passear. Estamos entendidas? - Ela disse e Nessie assentiu com a cabeça. Dito isso, todas descendo, e Catarina não parava de alisar o vestido e sorrir. Nessie se sentia enjoada ao pensar nela com Jacob. Só aquele pensamento causava um turbilhão de emoções.

[...]

Jacob ficou impaciente, de tanto esperar, para ver “sua” Nessie. O coração batia descompassadamente e uma estranha angustia o dominava. Parecia que estava há um século longe dela. Não entendia como podia se sentir daquela forma em tão pouco tempo. Ao escutar passos, manteve a compostura e a máscara de arrogância. Precisava dela para tratar com aquela gente.

- Vossa Excelência, não sei se conhece as minhas filhas. – Disse a senhora, com largo sorriso e ao seu lado duas jovens muito bonitas. Olhou para elas e não sentiu absolutamente nada, apesar da beleza exuberante de uma delas. Ela abriu um sorriso suave e fez uma mesura. Depois lhe estendeu a mão.

- Senhorita Catarina Wood. – Disse com tom bem gentil e uma voz mansa. A outra parecia mais tímida. Não era tão exuberante como a irmã e possuía alguns quilinhos a mais.

- Eu sou Annabel Wood. – Ela foi mais comedida e fez uma mesura perfeita.

- É um prazer conhecê-las, senhoritas.  – Disse, tentando ser gentil, e disfarçar usa inquietação. – E Lady Wood? - Perguntou.

- Estou aqui! – Nessie saiu de trás da tia. Parecia bem mais tímida, nada lembrando a jovem que havia conhecido. Estava pálida demais e um tanto quanto assustada. Ela foi até ele, estendeu a não e ela a beijou, sem tirar os olhos nenhum momento de seu rosto. Os olhos dela se encontraram com os dele e o que viu não gostou... Ela estava com medo.

- Podemos nos sentar? - Ele sugeriu.

- OH, é claro! Claro! – Disse senhora Wood e ela caminhou com as filhas para o sofá. Todas se alinharam com elegância e Nessie ficou bem longe dele, ainda comedida.

- Como tem passado, milady? - Jacob perguntou para Nessie. Ela olhou, brevemente para a tia, e depois para ele.

- Cansada, Vossa Graça! Tenho passado a maior parte o tempo na cama me recuperando.  – Respondeu de forma tímida.

- Acho que um passeio lhe cairia, bem,  “milady”. O dia está bonito, ensolarado e propício para respirar ar puro. Pedi a sua tia para que fosse comigo até o Hyde Park e ela, gentilmente, consentiu. Não é mesmo, senhora Wood? - Ele perguntou, desafiando a tia de Nessie.

- Mas é claro! – Deu uma risadinha falsa. – Se ela estiver se sentindo bem para isso. Como se sente, minha filha? - Jacob teve vontade de apertar o pescoço da mulher. Nunca havia batido em uma,mas ela... Quanto fingimento. Claramente enviava uma mensagem a sobrinha para dizer que não estava bem. Qualquer um perceberia no seu tom de voz.

- Estou realmente cansada, “milord”.  Por que não leva Catarina consigo? Ela adora passear ao ar livre. – Era uma armadilha. Senhora Wood a orientou para empurrar a prima para ele e se fingir de doente. Elas só não sabiam com quem estavam lidando.

- AH Eu adoraria! Eu adoraria mesmo! – A jovem bateu palminhas e aquilo foi o suficiente para irritar Jacob. Odiava jovens risonhas e enfadonhas. Por isso evitou se casar durante todos os anos em que a mãe o infernizou para isso.

- Não! O convite é para “milady Renesmee”. Não tenho interesse algum em passear com a senhorita Wood. – Respondeu desafiando a tia de Nessie. A sua expressão era de indignação e afronta, mas não teria a audácia de desafiá-lo. Sabia bem com quem mexia e ele não era um inimigo que gostaria de ter.

- Por que não vão as duas? É uma ótima solução para o impasse e Catarina, como uma boa prima, pode cuidar bem de Renesmee. – Ela respondeu, querendo ser mais esperta e não se dar por vencida naquela guerra de nervos.

- Como disse, senhora, eu vim de faetone e só tem espaço para duas pessoas. Mesmo que houvesse um terceiro assento, o convite é “apenas” para Lady Renesmee. – Disse com arrogância exagerada e todas fecharam a cara. – Podemos ir, “milady”? - Estendeu a mão para Nessie, que não teve outra alternativa a não ser aceitá-la,levantar-se, olhar para a tia, que tinha um olhar assassino, e seguir com ele.

- Então vamos, Vossa Graça. – Respondeu apavorada e lhe deu o braço, após se levantar.

- Espero que não se demorem. – A senhora disse em tom amargo, após perder a pequena batalha contra ele.

- Não demoraremos, Senhora.  – Jacob olhou para com olhar frio e desafiante. – Apenas o suficiente para saber sobre as condições de Lady Renesmee. Ouviu batidas no chão e viu que a senhorita Cataria batia os pés de forma impaciente. Não conseguia esconder sua irritação.

Jacob saiu da casa de braços dados com Nessie, caminhou com ela em silêncio até o faetone, estendeu a mão para ajudá-la a subir e depois que a jovem estava acomodada, subiu, pegou as rédeas e deu partida no veículo.

- Não deveria ter feito isso, Vossa Graça! – Nessie o advertiu. – Ela ficará furiosa comigo. – Seus olhos estavam cheios de água. Sentiu compaixão por vê-la naquele estado e remorso por colocá-la naquela situação. Mas não havia outra forma de falar-lhe sem ser interrompidos.

- Perdão, Lady Nessie! – Ele disse. – Estava aflito para saber sobre ti e sua tia não é nada confiável. Não acreditei na resposta de sua missiva. Por isso decidi ir vê-la. Precisava! Compreenda-me. – O dia estava ensolarado, Hyde Park estava cheio de casais passeando de carruagens e faetones. Jacob se sentia vivo, pela primeira vez, naqueles três dias. – Fale comigo! – Ordenou. – Fale o que estão fazendo, com “milady”.

- Vossa...

- Jacob! – Ele a cortou. – Já pedi que me chame de Jacob.

- Não é apropriado para uma senhorita, Vossa Grassa. – Ela olhou para o outro lado. Ele sabia que era para fugir dele. Mas ele queria ver através de seus olhos de esmeraldas.

- Olhe para mim, Nessie! – Ordenou novamente. – Conte-me tudo. – E ela o olhou. Ele pode ver sua alma naquele momento. Estava sendo torturada. Se não fisicamente, emocionalmente. Ele sabia. Queria abraçá-la ali mesmo e dizer que tudo estava bem, que ninguém lhe faria mal, mas não podia. Arruinaria a sua reputação se fizesse isso em público.

- Estou trancada no sótão, a pão e água, e...

- O quê? - Ele perguntou impaciente. Queria estrangular aquela raposa velha e ardilosa.

- Eles infernizam a minha vida. Queria tanto fugir... Assim que estiver melhor... – Ela disse com a voz embargada e depois se calou. Uma lágrima rolou pela sua bochecha e ele a secou com o dedo.

- Não pode fugir. Ficaria arruinada. – Ele respondeu com a voz calma, tentando tranqüilizá-la

- Já estou arruinada, se é que você não entendeu. – Ela respondeu, virando o rosto para o outro lado.

- Quero que me conte a verdade! – Ele ordenou, pegando o braço dela com força. Ela puxou o braço e quando ele olhou, viu marcas rochas, parecidas com beliscões.

- Quem fez isso a vocês? - Ele perguntou passando o dedo ao redor da marca. – Quem? - Jacob teve vontade de gritar.

- Eu me arranhei. – Ela respondeu abaixando a cabeça. Jacob parou o faetone e ficou olhando para ela. Queria respostas. Estava louco sem elas. Sabia que aquela gente estava maltratando “sua pequena”. Ele queria matar um.


- Por que insiste em proteger essa gente, que só te fez mal? Por que Nessie? Olhe para mim? - Ele disse com a voz carinhosa. Já ia segurar o seu queixo e erguê-lo, quando escutaram alguém o chamando.

- Telford! – Jacob olhou para trás e viu Colchester se aproximando em sua carruagem. Sentiu que Nessie se encolheu ao ouvir sua voz. Ela tinha muito medo daquele homem e já começava a concluir que... Não! Não queria pensar naquilo. Esclareceria tudo com ela. Não pensaria naquilo.
                                                                                                                               
- Colchester... – Disse com tom gélido. – Que coincidência! – Os dois ficaram frente a frente, quando as carruagens emparelharam. Nessie se encolheu ainda mais.

- Minha mãe disse que “minha pupila” estava passeando e achamos que o sol não faria bem para ela. Por isso vim buscá-la. – Jacob percebeu um tom de irritação na voz do homem, mas não se fez de rogado. Era especialista em ser arrogante. Colocaria o aprendizado de anos.

- O sol está delicioso e Lady Renesmee é uma companhia muito agradável. Terminaremos o nosso passeio e a levarei para casa em segurança. – Disse arqueando a sobrancelha para o outro e duvidou que fosse debater. – Não precisa se preocupar tanto. Sei que só tem “boas intenções”, mas ela está em ótimas mãos. Que melhor partido poderia arrumar para sua “pupila” Colchester? - Jacob desafiou. – Conversaremos quando retornarmos à Colchester House. Pode me esperar lá.

- Teremos uma conversa “bem esclarecedora” sobe “minha” querida Renesmee.  – Colchester respondeu, fez uma mesura com a cabeça e depois deu a ordem para o cocheiro partir. Quando se foi, Nessie começou a chorar e Jacob não pode abraçá-la. Seria um escândalo se alguém visse algum gesto de intimidade entre os dois.

- Você ficará bem! Eu prometo, minha querida! – Jacob pegou sua mão e a beijou docemente. Aquele inocente geste foi capaz de fazer seu corpo incendiar e seu coração ficar apertado. Teve muito medo do que estava sentindo. Ao mesmo tempo em que gostava daquele sentimento, tinha medo dele. Medo de amar. Pegou as rédeas do faetone e deu partida, de volta para a mansão dos Colchester. Sabia que teria uma difícil conversa com o marquês.

[...]

Nessie pagou caro pelo ato de rebeldia. Catarina acusou, gritou e bateu logo que chegou ao seu cativeiro. Aquilo não foi nada comparado ao que sofria. A tia e o seu algoz não se atreveram a machucá-la, fisicamente, mas sofreu tortura psicológica de forma pesada dos cinco. Edward entrava no quarto, dizia coisas indecentes, como  a forma como montaria, como uma vaca que era, tocava-a e mentia sobre o duque. Isso era o que mais doía. Sabia que o duque havia perdido o interesse, após saber que fora desonrada por um camponês do vilarejo que ficava na terra do pai.

Nessie chorou muito. Seu coração doía demais, ao saber que o duque a desprezava. Estava completamente desgostosa com a vida. Passava-se dia e noite, nada mudava. As torturas continuavam. E a dor que sentia, pelo fato do duque desprezá-la, era enorme. Já não tinha mais esperanças.

Numa noite, Lyan entrou no quarto com lindo vestido branco, da mais pura seda, e sapatos delicados. Também trouxe uma pequena gargantilha de brilhante, fazendo Nessie se espantar com aquilo.

- O que significa isso? - Ela perguntou para a serviçal, sem entender o que se passava.


- Essa noite, milady, terá o seu primeiro baile na sociedade. Será acompanhada pelo Lord Colchester e brilhará ao seu lado. – Fez cara de nojo ao falar de Edward.

- Mas por quê? Não entendo... Por que agora? - Ela questionou.

- O que ouvi, atrás da porta é claro, foi que seu ardiloso, pérfido e inescrupuloso primo quer que os vejam juntos. Ele está preparando a sociedade para que não se espantem quando lhe apresentar como noiva.

- Como? NÃO! NÃO! NÃO MESMO! – As lágrimas escorreram pelo seu rosto. Sentiu-se tonta e quase caiu. Lyan a segurou e ajudou a se sentar.

- Ele quer se casar com você. Foi o que ouvi.-   Ela disse para Nessie.

- Então temos que formular um plano para fuga. Só isso irá te salvar, Nessie. – Ela disse – Talvez o duque a ajude.

- Eu não posso... Não posso! Como contarei para ele que... OH Deus! Prefiro morrer a isso. – Deitou sobre a cama e se encolheu. – Ele acha que me perdi com um camponês. Edward mentiu sobre mim. Sua Graça me odeia agora.

- Essa noite, você e o duque, estarão na mesma festa. Eu mesma me certifiquei, com o cocheiro dele, que estará presente. Conte tudo, Nessie! Essa é a sua única saída. – A serviçal implorou que abrisse mão da dignidade e confiasse no duque. Ele era a sua única saída. Se não o fizesse, em pouco tempo acabaria se casando, obrigada, com Edward e estaria irremediavelmente arruinada.

- Não! Como posso? Você não entende? - Começou a chorar copiosamente. Pensar em contar tudo o que aconteceu era vergonhoso demais. Nunca conseguiria dizer a humilhação e sofrimento que passou nas mãos do primo.

-  Edward disse ao duque que vocês estão noivos. Por isso ele não apareceu. Ele nunca contaria nada diferente disso. Acha que arriscaria um escândalo? Já imaginou  a filha de um marquês com um rapaz simples, pobre e trabalhador? Não!!! –Colocou as mãos sobre a boca de forma teatral. – Isso arruinaria suas irmãs e suas chances de ser marquesa. Ele não disse isso ao duque. Acredite!! Ele não é burro! Então hoje à noite, você está linda, bela e encantadora... Dê um jeito de falar a sós e conte para ele. Peça ajuda para fugir. Pior do que isso não pode ficar.

- Você é louca, Lyan.

- Eu a vi sofrendo desde o dia da morte do se pai. Acompanhei tudo o que passou. E ajudarei a fugir. Se não contar a verdade ao belo duque... Eu darei um jeito dele saber e será pior. – A jovem a chantageou e sabia que era bem capaz disso, se fosse para livrá-la de um casamento desastroso com Edward.

- Você está me chantageando? - Nessie perguntou incrédula, pela coragem da garota.

- Não! Estou te ajudando. Conte tudo ao duque... Ou.

- Chega! Eu falarei com ele. Farei com que me ajude, mas sem entrar em detalhes. E que Deus me ajude. – O coração apertou. Por mais que não quisesse ir ao baile ao lado de Edward, queria ver Jacob e pedir socorro. Ele seria a sua única salvação. Ela confiaria sua vida aquele homem, que todos consideravam tão perigoso, mas que ela aprendera a confiar. Tinha medo dos próprios sentimentos. Tinha Medo de Amar; e por isso precisava se resguardar. Se ele chegasse um pouco mais perto, ela acabaria cedendo e se entregando. Aquilo seria mais perigoso do que qualquer casamento que viesse a acontecer.


E ai, miguxas? Gostaram desse Jacob abusado? Ele não é o máximo? Kkk Cordélia ficou espumando de ódio por acusa do abuso dele. AMEI!
O que acharam? Sei que estão loucas para saber o que vai acontecer. O que posso adiantar é que no próximo cap Jacob descobrirá o que Edward fez e... Ele ficará furioso!!! Vcs querem saber o que vai acontecer? Precisam ler e comentar. Próximo sábado estarei aqui nesse mesmo bati canal. Kkkk O cap 9 já está pronto e enviei ontem para a Heri. Tentarei fazer o cap 10 e o 11 essa semana para me adiantar.

Obrigada pelos comentários!!! Continuem deixando as observações de vcs. Elas são muito importantes para mim.

Gente, o meu livro, Para sempre, será lançado em noventa ou cem dias. Para as que moram em Portugal, darei um jeito de enviar. Já fui aos correios verificar o valor da postagem. Primeiro me deixem saber quanto sairá o livro e depois vejo o valor total com o custo do envio. OK?

Bjs no core

N/Heri: OMG! Esse primo é o cão! Todo mundo torturando a coitada, deixando a pão e água.
Então vamos apostar nesse baile. Glaucia faz o Jacob virar o jogo como sempre. Contamos com isso. Meninas estão gostando? Comentem e divulguem....bjokas

10 comentários:

Michelle Black's disse...

Ai não congela rsrs...eles noivos não...pelo amor de Deus! Mais pelo menos a velha bruxa espumando de raiva eu adorei...e agora tadinha da Ness sei que não vai contar de cara o que aconteceu....e vai correr o risco de ficar noiva daquele asco! Ai e só de pensar que so sábado que vem tem mais, já me dá cólicas!

GLAUCIA BLACKS FANFICS disse...

Pois é! Edward é um filho da mãe mentiroso e precisava tirar o duque da jogada. A mãe dele faz o possível para manter Nessie longe do duque, mas ele não larga o osso. kkkk Agora o bicho vai pegar. Jacob vai arruinar Edward por causa do que ele fez. Vc sabe que quando sou má, sou realmente muito má. kkk Se quiser da umas dicas de crueldade estou a disposição para ouvir. kkkk

bjs no core

Káká disse...

Nossa tadinha da Nessie...... mas acho que no proximo cap ela ja se livra do cachorro do primo dela...
Adoreiiiiii o Jacob abusado......
Ai posta maissssss
Bjss
O Jacob é perfeitoooo
Tomara que a Nessie saia logo da casa da tia e dos primos... bjsss

GLAUCIA BLACKS FANFICS disse...

Ka, a Nessie sabe que se ela não contar, a sua amiga Lyan vai dar com a lingua nos dentes. È melhor ele saber por ela, do que por outros. Ainda pior ele achar que ela se perdeu com qualquer um. O próximo cap promete.

Obrigada por comentar

bjs no core

Daniela ♥ disse...

OMG .... GLAUCIA TADINHA DA NESSIE =(
ELA VIVIA PAO E ÁGUA E ERA TURTURADA PSICOLOGICAMENTE??
MINHA NOSSA SENHORA....ELA DEVERIA ESTAR COMPLETAMENTE CONFUSA... TADINHA...

AI ESSA TIA....COMO ELA PODERIA PENSAR QUE O JAKE IRIA SAIR COM UMA DAS SUAS FILHAS =(
SE ELE FOI LÁ VER A NESSIE É COM A NESSIE QUE ELE IRIA SAIR E EAPENAS COM ELA...ESSA MULHER É LOUCA!!

E AGORA O EDWARD DISSE QUE IRIA CASAR COM A NESSIE.....AI O JAKE DEVE ESTAR TODO CONNFUSO, MAS ELE TEM QUE ACREDITAR QUE É TUDO É UMA MANOBRA...COMO ASSIM ELA NUNCA FOI APRESENTADA A SOCIEDADE E AGORA QUANDO VOLTA DO SUQUESTRO ELE ANUNCIA QUE VAI SE CASAR COM ELA?? O JAKE TEM QUE PENSAR QUE É UM TRUQUE!!

ESPERO QUE A NESSIE ESCLARESSA TUDO DE UMA VEZ E QUE ESSE EDWARD PAGUE BEM CARO POR TUDO O QUE TEM FEITO Á NESSIE E ESSA TIA TAMBÉM TEM QUE PAGAR, POIS FAZE-LA DE EMPREGADA E FECHA-LA NUM QUARTO TUDO POR CAPRICHOS E DINHEIRO É DOENTIO.....

BEM, AGORA EM RELAÇÃO AO SEU LIVRO: AAHH QUE BOM QUE JA ESTA A PENSAR NAS SUAS LEITORAS PORTUGUESA xD
VOÇE NUNCA NOS DESILUDE =D
OBRIGADA E FICO Á ESPERA DE MAIS NOVIDADES!!!

BEM, AGORA É SÓ ESPERAR PELO PROXIMO SABADO E CONTINUAR A ROER AS UNHAS =(

EU ESTOU SUPER ANSIOSA PELO PROXIMO CAPITULO!!!

BEIJOS!!!

Daniela Cristóvão

Unknown disse...

Nossa coitada da Nesse sofreu tanto e agora esta noivo do Edward qye horro tomara que ela conte tudo ao Jake gostosão para que este possa salva-la das guaras do primo...náo vejo a hora do Jake dar uma boa surra neste Edward, pois esta precisando mesmo...rsrsr!!
Adoro suas historias pois elas tem uma descrição tãp bem contato em detalhes que parece que estamos dentro do enredo....Parabéns!!!

Virginia disse...

Ui adoro quando o jacob fica mandão... AAAAMMMEI ...A Nessie noiva do Edward ecaaaa...
Jacob tem que fazer o Edward sofre arrores ir a ruina para aprender que com a nessie ninguem mexe .. Parabéns Glaucia esse cap ficou MARA estou ansiosa para o proximo.. bjinhos ate o proximo.

Deia disse...

Amei, a bruxa se roendo de raiva foi foi muito bom, esse Jacob em, bem que ele podia aparecer mais vezes, amei ver o modo como ele desafiou a mae do Edward.
Minha nossa, ser noiva do Edward é um castigo, tadinha da Nessie, ela não merece isso, estou torcendo muito, e a minha imaginação esta voando alto para a cena em que o Jacob vai fazer o seu acerto de contas com o Edward, to doida para ver o que ele vai fazer, esperando anciosa pelo capitulo, to doida para ver o que vai acontecer nesse baile, posta logo, Bjos

hilsiane disse...

Nossa coitada da nesse ta sofredo muito nas mãos dessa familia de mostros ,tracada e sendo toturada psicologicamente,vivendo a pão e água,e ainda por cima se obrigada a casar com aquele mostro do edward é muito castigo p/uma pessoa só,tomara que ela conte toda a verdade p/o jake e ele destrua o edward,a primeira coisa que ele tem que fazer e da uma boa surra no edward e deixa ele em carne viva ,depois capa ele para que ele nunca mais toque na nessie é totura muito ele só p/comerça ,mais falado do cap ficou mara,mais eu to louca para ler o prox ,onde o jake vai descobri tudo e toca terro no edward e fazer ele pagar por tudo de ruim que fez a nessie.bj/ anne

elaine disse...

Oi chorei orrores com o capítulo também quem manda ler de tpm kkkk mas que peste essa família eu quero tortura e mata cada um aos poucos mas mudando de assunto muito fofo esse jacob aí aí mas diz aí quando ele vai castra art mala do primo dela a e depois põe vinagre bom sal bem hoje e tpm tensão para matar deral aí kkkk bjs flor

Postar um comentário