quarta-feira, 14 de março de 2012

O destino3

Após uma semana da chegada de Jacob, eu estava voltando a minha rotina escolar após as férias de inverno. Claire ficou chateada com a cena na casa do Nahuel, isso me deixou muito triste. Tentei me afastar de Nahuel, mas ele sempre com suas indiretas, me impedia de fazer isso. Mas no domingo, eu fui conversar com ela, e nós resolvemos, expliquei a ela que jamais daria a Nahuel alguma esperança que poderíamos ficar juntos e então ela acabou cedendo.
Eu tinha acabado de tomar meu café, estava pegando minha mochila, quando minha mãe me surpreendeu em meu quarto:
– Você vai como a escola? Seu carro não está no concerto? – perguntou ela enquanto andava pelo meu quarto até se sentar em minha cama – Se é que podemos chamar aquilo de carro.
– Eu vou no ônibus escolar mesmo. Até que a baratinha esteja pronta. – falei enquanto passava um pouco de gloss em meus lábios.
– Bom, só posso te desejar boa sorte. – disse ela enquanto se levantava e dava um beijo no alto de minha cabeça – Bom, vou indo vou levar o café de Rachel na cama, e servir o do senhor Black.
– E Jacob? – perguntei
– Ele já tomou o dele por conta própria, deve estar apressado pra ir á escola.
– Ele vai estudar na escola da reserva também?
– Não. Parece que o senhor Black o matriculou em uma escola particular que fica em Forks.
– Nossa! – exclamei – Bom, vou indo. Beijos mamãe – a abracei e depois dei um beijo em sua bochecha.
Fui seguindo pelo jardim, até o portão da frente, ao chegar o portão, fui surpreendida com um carro atrás de mim. Pude perceber que era um Kia Sportage modelo 2009 cinza. Pulei pra trás por reflexo, então a janela do carro foi descendo e a pessoa que estava o guiando era ele, Jacob. Ele sorria feito um bobo. E então desceu do carro e encostou-se no mesmo.
– E aí Renesmee, quer uma carona?
– Nossa Jacob! – olhei maravilhada com seu carro – que carrão é esse?
– Bom, é Sport... – disse ele, mas, eu o interrompi.
– Um legítimo Sportage modelo 2009, eu sei. – eu disse deixando Jacob falando sozinho e indo apreciar o carro - Nossa quando ganhou? – disse passando minha mão sobre o carro.
– Nossa onde aprendeu tanto sobre carros? Bom, foi um presente de boas vindas de meu pai. – disse ele dando os ombros.
– Com a minha tia Rosalie. Que presente, hein? – eu disse olhando pra ele feito uma pateta e ele riu.
– Então. Tá afim de uma carona? – perguntou ele, encostando-se novamente no carro para me encarar, e então o olhei e não agüentei desviei o olhar.
– Bom... – disse encarando minhas unhas – Você não vai estudar em Forks?
– Vou, por quê?
– Jacob, eu estudo na escola da reserva. Se você me der uma carona, vai chegar atrasado no primeiro dia de aula?
– Quem liga? É o primeiro dia de aula! – disse ele dando os ombros. E então não me segurei e ri.
– Ok, tudo bem seu maluco! – eu disse batendo a mão em seu peito, rindo. Então senti seus músculos. Meu Deus, como Jacob tinha adquirido tudo aquilo? Gente! Controla-se, Renesmee.
– Vamos? – ele disse
– Jake!! – uma voz gritava o nome de Jacob. Então olhamos assustados. Era ela, porque ela sempre tinha que estragar tudo?
– Oi Leah! – disse Jacob simpático com aquela kenga, enquanto ela se aproximava dele.
– Jakezinho, será que podia me dar uma carona? É que o Seth quer levar a namoradinha dele pra escola... Sabe a sós... – disse ela toda manhosa, passando os dedos pela camiseta apertada que Jacob usava.
– Mas você não estuda na escola da reserva? – perguntou ele.
– Estudava! – disse ela fazendo um sinal com as mãos, com se colocasse algo para trás. – Mas assim que tio Billy falou para mamãe que você ia estudar em Forks, eu pedi a ela que me matriculasse lá também. Sabe, pra ficarmos mais juntos, Jake. – disse ela sorrindo e tentando parecer sexy, acredito eu.
– Tá, tudo bem Lee-Lee. Mas antes... – ele olhou pra mim. Fez uma cara de “indesejável” e apontou com a cabeça pra Leah e eu não contive um risinho. – eu prometi levar Renesmee pra escola.
– Jacob, ela estuda na reserva. Não vai dar tempo de chegarmos á escola. – disse ela
– Bom, a gente chega. Mas não na hora. – disse ele brincalhão
– É serio Jacob! É o primeiro dia de aula.
– Jacob... – sussurrei – Eu vou de ônibus, não tem problema. Vai lá! Olha ele já tá chegando – disse apontando para o horizonte da rua, que pra constatar estava deserta.
– Onde? Eu não tô vendo nada. – disse Jacob olhando.
– Bom, ele tá chegando por aí. Uma hora ele aparece. – eu disse brincalhona.
– Ah Renesmee para de besteira. Vamos aí, a Lee-Lee, não vai ligar! Não é Leah?– perguntou ele pra Leah
– Não, por mim... – disse ela indiferente
– Não Jacob, tudo bem – olhei pra estrada o ônibus estava vindo – olha meu ônibus ai. Tchau – disse correndo e entrando no ônibus.
Entrei correndo no ônibus, quase tropecei no pé de um idiota qualquer. Enquanto eu entrava, ouvi Leah dizer Ai Jake, tomara que a gente caia na mesma sala! Leah não desiste mesmo. Quando cheguei à escola, Claire estava me esperando em frente da mesma:
– Você veio no ônibus escolar? – disse ela franzindo a testa
– A baratinha ainda tá no concerto. – eu disse bufando
– Corajosa. – ela disse, então dei os ombros e segui até a sala que seria minha primeira aula.
Após algumas semanas, era quase impossível falar com Jacob. Motivo? Leah Clearwater. A garota não desgrudava de Jacob. Todo dia, os via de longe conversando, e ela sempre grudada no pescoço dele. Não sei por que, toda vez que os via juntos, eu sentia algo estranho. Não sabia explicar o que. Acho que é porque Jacob sempre foi meu melhor amigo, e agora ele tinha uma namorada.
Uma amiga dos tempos de escola da minha mãe, Ângela Weber, veio nos visitar um dia desses, ela me ofereceu um emprego em sua loja de antiguidades que fica em Forks. O emprego é de meio período e o salário é razoável. A lojinha se localizava na mesma rua da escola de Jacob, e eu sempre o via saindo com sua turminha da escola.
Já era 18hrs, era hora de fechar a loja. Fechei as portas, e fui até o pequeno escritório de Ângela, ela estava sentada na mesa, olhando alguns papéis:
– Senhora Weber, já terminei, posso ir?
– Sim, Renesmee. Mas eu já lhe disse mil vezes, me chame apenas de Ângela.
– Sim, Ângela. – sorri e ela retribuiu. Fui andando até a porta quando Ângela me chamou.
– Renesmee!
– Sim? – disse olhando para trás.
– Pode entregar esse convite a sua mãe? – disse ela me oferecendo um lindo envelope, com pequenos detalhes dourados. – É o convite de meu casamento, com meu noivo, Ben.
– Claro, sem problemas. – disse pegando o convite.
Segui até o ponto de táxi, para pegar um. Cheguei à mansão e fui direto à cozinha. Não encontrei minha mãe, então a procurei por todos os cantos, mas, não encontrei. Então, quando estava voltando para a cozinha, que tem uma porta que dá acesso diretamente à frente da minha casa, vi Lauren, com um pilha de roupas na mão, decidi perguntar a ela, se tinha visto a minha mãe.
– Lauren, você viu minha mãe? – perguntei a ela.
– Ela foi ao mercado, para abastecer a casa.
– Ah, sim! Obrigada.
– Renesmee?– perguntou ela, quando eu estava me dirigindo à cozinha.
– Sim? – perguntei olhando pra ela.
– Poderia levar essas roupas pra o quarto de Jacob? – perguntou ela, com os olhos suplicando.
– Esta cansada, né? – perguntei sorrindo
– Você não imagina, o quanto. – disse ela
– Tá bom Lauren. Eu quebro esse galho pra você. – peguei a pilha de roupas, e fui subindo as escadas. Então, sem perceber, eu olhei um blazer preto, que estava em cima de toda pilha, então aproximei meu rosto dele, e puxei o ar. O aroma era tão, tão bom. Almiscarado e ao mesmo tempo Amadeirado. Inconfundível.
Quando me dei conta, eu estava já em frente á porta de Jacob, não sabia se entrava ou batia na porta. Então fui surpreendida com Billy, ele estava saindo do quarto de Jacob, seus olhos eram de pura fúria. Então ele me olhou, então percebi que ainda estava cheirando o blazer de Jacob.
Instantaneamente corei e o meu coração disparou. Não sabia o que fazer. Mas não foi preciso fazer nada. Billy saiu pisando duro no chão. Suspirei aliviada por ele não falar nada.
Então fui bater na porta, mas, mais uma vez fui surpreendida, Jacob abria a porta, e quando me viu sorriu.
– Renesmee! – ele disse simpático – Entra! – então, aceitei o convite dele, e entrei em seu quarto. Quando fui falar com Jacob, tomei um susto. Jacob estava sem camisa, apenas com um short esportivo. E todo, completamente molhado. Tampei os olhos e então ouvi uma risadinha. – Que foi Renesmee?
– Jacob! – eu disse o repreendendo - Você esta seminu. – então ele riu mais ainda. Então tirou minha mão do rosto.
– Para de besteira Renesmee. – ele disse – Se você quiser, eu coloco uma camisa. – Não! Eu disse mentalmente. Mas minha boca disse outra coisa:
– É acho melhor. – então depois de alguns segundos ele disse:
– Pode abrir – então ao comando de sua voz, eu abri meus olhos, e ele estava com uma camiseta branca, que não resolvia muito o problema, por que mostrava grande parte dos seus músculos, mas amenizava a cena. Então olhei para Jacob, que estava rindo ainda.
– Não teve graça Jacob! – eu disse com um bico enorme.
– Tá bom. Parei. – disse ele levantando a mão, como se estivesse se rendendo. –Então, o que a leva vir aqui no meu humilde quarto? – perguntou ele. Passei os olhos pelo seu quarto. Ele era realmente grande
– Humilde? Seu quarto é do tamanho da minha casa toda. – eu disse rindo – Mas, eu não vim aqui pra falar do seu quarto. E sim trazer umas roupas suas que Lauren, acredito eu, já tenha as passado. – entreguei a pilha de roupas a ele. Ele as pegou e jogou na cama. As fazendo desdobrarem toda. – Jacob! – eu gritei
– O que? – ele gritou assustado olhando pra mim
– As roupas! – eu disse correndo em direção á cama, e começando as dobrá-las rapidamente. Jacob começou a rir. - Qual a piada? Posso saber? Também quero rir.
– Deixa essas roupas ai Renesmee, não tem importância.
– Ah, por favor, Jacob Black! Seja mais organizado! – eu disse
– Tudo bem, se você quer arrumar – disse ele dando os ombros. Então quando peguei as roupas já dobradas e empilhadas e disse:
– Onde as coloco?
– Naquela gaveta – disse apontando a gaveta de uma cômoda no canto do quarto. Fui até lá, então Jacob pulou com tudo em sua cama. Quando me virei, ele estava me olhando.
– Que foi? – perguntei a ele. Ele sacudiu a cabeça, como se estivesse colocando as idéias nos lugar e disse:
– Nada não.
– Jacob...
– Sim?
– Por que seu pai saiu furioso daqui? – disse enquanto me sentava na cama para encará-lo
– Ah! – disse ele desanimado.
– Se, quiser, não precisa falar. – eu disse me levantando, então fui surpreendida por seus braços me segurando e me puxando de volta pra me sentar na cama.
– Não, pra você eu sei que posso falar. – ele disse sério
– Então me fala. – eu disse
– É sobre a escola...
– Esta com problemas de comportamento? – perguntei rapidamente
– Não. Eu me comporto na escola. Bem, acredito eu... – ele solto um risinho – É que eu tô me dando mal em algumas matérias, e me meu pai veio me cobrar isso hoje. Ele cobra demais de mim Renesmee. Por que eu sou o único homem, e porque ele diz que eu sou o único herdeiro dele, o único que vai substituí-lo no trono da corporação. Ele acha que ainda vivemos no século XVIII. – ele disse olhando para chão.
– Ah, sinto muito Jacob. Bom, com relação ao seu pai. Eu não sei o que falar. Mas dê tempo ao tempo. Uma hora ele vai acordar, e perceber que não é isso o que você quer...
– Duvido muito... – disse ele desanimado
– Mas! – eu disse alto e animadamente – Com relação à escola, bom eu posso te ajudar a estudar. Quais as matérias que você tá se dando mal?
– É a matéria. É história da arte. Se eu não passar nessa matéria, eu repito o ano.
– História da arte? – perguntei pasma
– É! Nossa até você se assustou com essa matéria – disse ele brincalhão
– Não, Jacob. Eu sou muito boa nessa matéria. Não é querendo me gabar, mas eu sou excelente nessa matéria. – disse rindo
– Sério? – perguntou ele.
– Sim.
– Então você vai me ajudar? – perguntou ele
– E você vai querer minha ajuda? – perguntei
– Claro! – disse ele – Fechado – disse ele estendendo a mão
– Fechado – peguei sua mão e apertei-a, e então ele me puxou para um abraço apertado.
Eu estava saindo da loja da senhora Weber, quer dizer Ângela. Quando fui surpreendida por Claire:
– Bu! – gritou ela
– Claire! – gritei dando um pulo pra trás
– HAHAHA – gargalhou ela – para de ser besta Renesmee. – disse ela
– E então está saindo mais cedo? Por quê? – perguntou ela enquanto eu pegava meu celular na bolsa.
– Pedi pra Ângela me deixar sair mais cedo, por que hoje não tem muito movimento. E por que hoje eu vou dar umas aulinhas para Jacob.
– Hum... – disse ela com um olhar malicioso - aulinhas? Né Sra. Cullen?
– Sobre história da arte tá Sra. Young! – quase gritei com Claire
– Esta bem, esta bem! – disse ela levantando os braços, com um gesto de rendição. –Mais tarde eu passo lá pra gente estudar pra Química, O.K.? – perguntou Claire
– O.K. Pede pra sua mãe deixar você dormir lá. Amanhã a gente vai pra escola juntas.
– Tá bom. Beijos – disse ela, dando um beijo em cada bochecha minha
– Tchau – eu disse. Assim que Claire sumiu no horizonte, olhei meu celular que estava na minha mão e disquei o número de Jacob, chamou apenas uma vez e ele atendeu.
– Alô? – perguntou ele
– Jacob, é a Renesmee! Onde você está? – perguntei. Jacob tinha combinado em me buscar na frente da loja.
– Estou na esquina, só estava esperando sua amiga ir embora, pra te buscar. Já tô indo! – disse ele
– O.K – então desliguei o telefone.
Em menos de cinco minutos o Kia Sportage de Jacob, surgiu na minha frente e então parou. Ele desceu o vidro, sorriu e disse:
– Vamos?
– Vamos. – concordei e entrei no carro.
Chegamos à mansão, olhei para Jacob e disse:
– Onde vamos estudar? – eu disse
– Bom... – ele coçou a cabeça – Pode ser no meu quarto? – arregalei os olhos e então respirei fundo
– Ah... Ah... – eu não sabia o que falar.
– Ah, vamos Renesmee. Não tem nada de mais. Meu quarto é o último do corredor, e é tranqüilo.
– Tá, tudo bem.– Seguimos até o quarto de Jacob. – Onde estão seus livros? – ele foi até uma bolsa jogada no canto do quarto e tirou dois livros grossos da mesma.
Peguei o livro, dei uma foleada rápida. Jacob sentou na cadeira da escrivaninha do lado de sua cama e eu na cama. Ainda com o livro na mão eu coloquei na escrivaninha na página de um texto sobre a Arte rupestre
– Bom, eu quero que você leia esse texto sobre artes rupestre, que foi a primeira demonstração de arte que se tem notícia na história humana. Após ter lido esse texto, vou lher fazer umas perguntas, sobre interpretação de texto e vou ver como isso fluí. O.K. ? – perguntei
– Sim capitã! – disse ele debochado. Então ele começou a ler o livro. Após alguns minutos, Jacob olhou pra mim e disse - Pronto!
– Então tá. Mas antes... – peguei minha bolsa, e peguei uma pequena caixinha azul, e então quando Jacob viu o que era seus olhos brilharam.
– Não acredito! – ele puxou a caixinha pra ele – Bis! – ele gritou – Nossa Renesmee, a quanto tempo eu não como Bis! Lá no colégio é terminantemente proibido comer doces, e então quando vim pra cá, tinha me esquecido de como era bom comer doces, cholates e etc... – ele abriu a caixinha e comeu um. Depois, quando ia pegar outro eu peguei a de volta.
– Nananinanão! – eu disse rindo
– O que? – disse Jacob sem entender.
– Você não vai comer mais nenhum.
– Por que não?
– Você vai ter que merecer comer um.
– Ainda não estou entendendo nada Renesmee. – disse ele
– Bom, deixa eu te explicar. Eu comprei essa caixa de Bis pra te incentivar, a cada resposta certa você ganha um Bis! E a cada errada você perde dois Bis. E só pra te deixar mais mordidinho. Eu vou comer na sua frente os dois Bis que você perder! – eu disse com um ar brincalhão e ao mesmo tempo perverso.
– Ah! Isso é tortura Renesmee!
– Você não quer passar nessa matéria? – eu disse
– Lógico. – disse ele
– Então?
– Tá! Pode começar – disse ele emburrado.
– Bom. Primeira pergunta: Esse tipo de arte é caracterizado por ser feito com que tipo de material?
– Ah! Essa eu lembro... Deixa-me pensar... – disse ele coçando a cabeça – Era terra vermelha e amarela...
– E?
– Carvão e sangue de animais! – disse ele animado e então entreguei um Bis a ele.
Ao longo do meu questionário Jacob se saiu bem, até eu fazer uma pergunta.
– Qual os três períodos da idade da pedra?
– Ah, sei lá... Paleolítico, Neolítico e...
– Falta só mais um! – eu disse o incentivando.
– Mesopotâmico? – respondeu ele confuso
– Não Jacob! É Mesolítico! Quase...
– Ah! – bufou ele desanimado
– Infelizmente, eu vou ter que comer dois Bis! – eu disse. Peguei dois Bis e comecei a comer. Notei que a barriga de Jacob roncou – Há quanto tempo você não come?
É... Desde manhã – disse ele então eu ri.
Quando fui comer o segundo Bis comi bem lentamente fazendo charminho, até tentando parecer sexy. Mais eu não consegui eu soltei uma gargalhada.
– Você é péssima tentando parecer sexy Renesmee –disse Jacob brincando – Me dá meu Bis! –gritou ele pulando em cima de mim parecendo uma criança, me fazendo deitar na cama.
Escondi os Bis em baixo do meu corpo e Jacob tentava o pegar. Nós não parávamos de gargalhar. De repente, meu olhar encontrou o dele, e nós dois ficamos sérios, então senti um frio na barriga. O rosto de Jacob se aproximou então meu coração acelerou.
E não sabia o que estava acontecendo comigo naquele momento, então rapidamente fui tirada de meus devaneios com o som da porta se abrindo. Rapidamente Jacob saiu de cima de mim, então olhei para porta, era o senhor Black.
– O que está acontecendo aqui Jacob? – ele olhou furioso para Jacob

2 comentários:

Aricia Black disse...

Eita o veio pegou os dois no flagra!
e agora no que será q isso vai dar?

ai meu DEUS!

Beatriz Shepherd disse...

Awn isso me lembra a época que eu escrevia em OD!

Postar um comentário